Inclusão digital no Brasil: realidade e desafios 

Apesar dos largos avanços dos últimos anos, a inclusão digital no Brasil ainda é uma realidade distante para cerca de 10% da população

Inclusão digital no Brasil: realidade e desafios 

Acesso à internet é realidade para mais de 90% da população. Foto: Pixabay

Nesta quarta-feira (27), é celebrado o Dia Nacional da Inclusão Digital no Brasil. Mas já faz alguns anos que a grande maioria dos brasileiros têm fácil acesso à internet, seja por conexão sem fio ou cabeada. De acordo com a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), em 2021, 90% dos domicílios brasileiros já têm acesso à Internet. No entanto, apesar dos largos avanços dos últimos anos, a inclusão digital ainda é uma realidade distante para uma parcela da população. 

Os desafios da inclusão digital, porém, ainda são reais no país. Conforme a PNAD Contínua, que pertence ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 74,7% dos municípios das áreas rurais do Brasil têm acesso à internet. Em contrapartida, as áreas urbanas contabilizam 92,3% de casa com conexão à rede mundial de computadores. Contudo, mesmo com a discrepância em um mesmo território nacional, as expectativas para alcançar 100% não são curtas. 

A princípio, uma das propostas do Ministério das Comunicações (MCom) é que todas as escolas públicas tenham acesso à internet até o ano de 2026. Os investimentos, desde 2023 até 2026, são na faixa dos R$ 8,8 bilhões, tendo incentivo de diferentes fontes, entre elas, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 

Confira dados da PNAD Contínua de novembro de 2023  

  • A proporção de pessoas com 10 anos ou mais de idade que utilizaram a Internet no país passou de 84,7% em 2021 para 87,2% em 2022. 
  • O percentual de idosos (60 anos ou mais) que utilizam a Internet subiu de 24,7% em 2016 para 62,1% em 2022. 
  • 98,4% dos estudantes da rede privada e 89,4% dos alunos da rede pública utilizaram a Internet em 2022. 
  • O equipamento mais utilizado para acessar a Internet em 2022 foi o telefone móvel celular (98,9%). Em seguida, ainda com considerável diferença, vinha a TV (47,5%). 
  • A proporção de pessoas que acessavam a internet via microcomputador recuou de 63,2% em 2016 para 35,5% de 2022. O acesso à internet por meio do tablet também recuou, neste período, de 16,4% para 7,6%. 
  • A PNAD Contínua investigou, pela primeira vez em 2022, a frequência com que as pessoas utilizavam a Internet: 93,4% usavam todos os dias. 
  • 94,4% dos usuários acessaram a internet para conversar por chamadas de voz ou vídeo. As outras finalidades mais relatadas foram: enviar ou receber mensagens de texto, voz ou imagens por aplicativos diferentes de e-mail (92,0%); assistir a vídeos, inclusive programas, séries e filmes (88,3%) e usar redes sociais (83,6%). 
  • Em 2022, 8,9% dos usuários acessaram a internet por conexão gratuita pública em escolas, universidades ou bibliotecas públicas. Entre os estudantes da rede pública usuários da internet, 26,7% utilizaram essa forma de acesso. 
  • A maioria das pessoas que não utilizaram a Internet em 2022 tinham menos instrução ou eram idosos (com 60 anos ou mais de idade). O motivo mais apontado pelas pessoas que não acessaram a internet foi por não sabe usar (47,7%). Para 66,1% dos idosos que não utilizaram a Internet, esse foi o principal motivo. 
  • Em 2022, 86,5% das pessoas de 10 anos ou mais de idade tinham telefone móvel celular para uso pessoal, o que representa um crescimento de 2,1 p.p. em relação a 2021 (84,4%). 

LeiaJá também 

Computadores para Inclusão digital 

Na última terça-feira (26), o Ministério das Comunicações realizou um evento para oficializar a doação de 2,5 mil computadores a escolas públicas e instituições sociais. Então, diante da quantidade de máquinas distribuídas, em parceria com a Caixa Econômica Federal, a pasta bateu o recorde de 40 mil doações de equipamentos. O evento contou com a presença do ministro das Comunicações, Juscelino Filho, e do presidente da Caixa, Carlos Vieira.  

Os equipamentos vão para Pontos de Inclusão Digital (PIDs) em todos os estados, além do Distrito Federal. Eles fazem parte do primeiro lote de máquinas recolhidas de agências da Caixa, por meio de acordo de cooperação técnica. Nos próximos dois anos, a expectativa é chegar à doação de 40 mil computadores. 

Até 2022, o Programa Computadores para Inclusão tinha uma média de 2,4 mil doações por ano. Já no ano passado, o Ministério das Comunicações dobrou o total de doações anuais e destinou 5,7 mil computadores. Para 2024, a meta do MCom é chegar a 12 mil máquinas doadas por meio da iniciativa.