Tinder terá que explicar taxas diferenciadas para usuários da UE

Um estudo realizado na Suécia em 2022 mostrou que o Tinder aplicou 36 níveis de preços diferentes

Tinder terá que explicar taxas diferenciadas para usuários da UE

Foto: Pixabay

O aplicativo de relacionamento Tinder prometeu informar seus usuários na UE o porquê de cobrar preços diferentes pelo mesmo serviço, anunciou a Comissão Europeia nesta quinta-feira (7).

O compromisso do Tinder é resultado de uma investigação aberta pela Comissão Europeia após denúncias de usuários do aplicativo na Suécia e nos Países Baixos.

Segundo a Comissão, a rede de usuários que fez essas denúncias “descobriu que o Tinder aplicava preços personalizados sem informar os consumidores, o que viola o direito do consumidor da UE”.

“Personalizar descontos sem informar explicitamente os consumidores é injusto, porque os impede de tomar uma decisão informada”, acrescentou a Comissão em um comunicado.

Quanto você paga pelo Tinder?

Um estudo realizado na Suécia em 2022 mostrou que o Tinder aplicou 36 níveis de preços diferentes, cobrando de alguns usuários o equivalente a 3 dólares (14,8 reais) por mês, enquanto de outros cobrava até 36 dólares por mês (177 reais).

Aos usuários na Suécia e nos Países Baixos foi oferecida apenas a taxa de assinatura determinada automaticamente pela empresa, sem possibilidade de compará-la com outros preços.

Em julho de 2022, a comissão abriu uma investigação contra o Tinder por suas práticas.

Segundo a Comissão, o Tinder prometeu que até meados de abril deste ano deixaria de definir preços personalizados com base na idade, sem informar previamente aos usuários de forma clara.