Donkey Kong está de volta, mas não da maneira esperada

Jogador assume o controle do famoso personagem Mario, que deve recuperar os brinquedos roubados pelo Donkey Kong

Donkey Kong está de volta, mas não da maneira esperada

Foto: Divulgação/Nintendo

Após completar 10 anos sem receber um jogo novo, Donkey Kong retorna para uma nova aventura no Nintendo Switch, no entanto, o título não é exatamente o que muitos dos fãs queriam, já que não se trata de um game de plataforma 2D aos moldes de “Super Mario Bros. Wonder”, ou até mesmo um jogo de perspectiva 3D, igual a “Super Mario Odyssey” (2017). Na realidade, o retorno do carismático gorila aconteceu em “Mario Vs Donkey Kong”, que é um remake de um título lançado em 2004 para o portátil Game Boy Advance.

Embora sejam mascotes da mesma empresa, a rivalidade entre Mario e Donkey Kong é algo que acontece desde 1981, quando estes dois personagens fizeram as suas estreias no mundo dos games, em um jogo lançado para Arcades (aqui no Brasil conhecido como máquinas de fliperama), intitulado apenas de “Donkey Kong”.

Neste título, o jogador assumia o controle de Mario, que na época era conhecido apenas como Jumpman, e precisava escalar uma série de plataformas, enquanto desviava dos barris que o Donkey Kong arremessava do topo da tela. Com o passar dos anos, estes personagens começaram a protagonizar jogos e histórias diferentes. “Mario Vs Donkey Kong” chega para resgatar essa rivalidade, em um game que traz os conceitos do original de 1981, mas se mostra aberto para novas ideias.

História e estrutura do game

Após assistir ao comercial de lançamento do bonequinho de corda do Mario, Donkey Kong decide invadir a fábrica de produção e roubar todas as miniaturas do encanador bigodudo. Ao perceber o que aconteceu, Mario parte em uma jornada para resgatar os brinquedos furtados. A história do título é bem simples e funciona apenas como um plano de fundo, que busca justificar as ações do game.

O jogador assume o controle de Mario e cada fase é dividida em duas áreas, na primeira, será preciso encontrar uma chave e destrancar uma porta para poder avançar. Já na segunda parte, é onde o jogador deve encontrar um dos bonecos roubados e concluir a fase.

Durante os trajetos, o jogador lidará com outros brinquedos inimigos, que possuem formas idênticas a de outros personagens das franquias Mario e Donkey Kong; além de também ter que realizar saltos precisos em diversas sessões de plataforma. 

Cada um dos oito mundos presentes no game, são compostos por seis fases com essa estrutura. Além destas, também é preciso percorrer um nível extra, onde o jogador deve guiar seis bonequinhos para dentro de um baú; e um outro cenário, dedicado para o confronto entre os dois mascotes da Nintendo.

Jogabilidade e dificuldade

Aqueles que estiverem acostumados com outros jogos do Mario, podem estranhar a jogabilidade travada do personagem, já que neste game ele é mais lento, conta com pulos menores e possui uma movimentação mais robótica. Contudo, isso foi planejado de maneira proposital, pois apesar de trazer elementos de games de plataforma, a ideia central do título é fazer com que o jogador exercite o raciocínio lógico e encontre a maneira mais adequada de resolver os quebra-cabeças.

Quem busca por um desafio elevado, pode optar pela dificuldade clássica, que inclui limites de vida e tempo para completar as fases. Além disso, a dificuldade aumenta, caso o jogador decida coletar todos os presentes espalhados pelos cenários. Nestes casos, é recomendado tentar completar os níveis, sem olhar os vídeos de gameplays no YouTube.

Já a dificuldade casual, é voltada para os que querem apenas aproveitar uma jornada tranquila, já que não dispõe de limite de tempo para concluir as fases e também oferece vidas infinitas para os jogadores. Vale destacar que os níveis de dificuldades podem ser alternados a qualquer momento durante o gameplay.

Para garantir a longevidade do game, após concluir os oito mundos do jogo, outros oito são liberados, mas com uma estrutura diferente das anteriores. Desta vez as fases possuem apenas um nível, onde o Mario deve guiar um brinquedo com chave até uma respectiva porta. No entanto, as temáticas das fases se repetem e os confrontos contra o Donkey Kong são semelhantes aos da primeira sequência.

“Mario Vs Donkey Kong” moderniza um confronto clássico dos anos 1981, embora não seja o retorno do carismático gorila que muitos desejavam. O título pode proporcionar muitas horas de diversão e também colocará o jogador para exercitar o raciocínio lógico em vários momentos. Este game está disponível exclusivamente para o Nintendo Switch por R$249,00.

*Por Alfredo Carvalho, em colaboração para o LeiaJá