Coleção de ‘Castlevania’ relembra o auge da franquia

Pacote dispõe de quatro jogos, entre eles a trilogia do Game Boy Advance, que marca o período “metroidvania” da saga; Acompanhe a resenha

por Alfredo Carvalho ter, 05/10/2021 - 15:38
Divulgação/Konami Capa principal do game “Castlevania Advance Collection” Divulgação/Konami

A série de jogos eletrônicos “Castlevania”, desenvolvida pela Konami, marca presença nos videogames desde 1986 e é considerada por muitos jogadores, como um clássico atemporal, ao lado de outras franquias, entre elas, “Super Mario”, “Doom” e “Mega Man”.

No entanto, desde 2014, a saga não recebe um título de peso e tem sobrevivido de jogos para celulares e relançamentos, como é o caso de “Castlevania Advance Collection”, lançado em 23 de setembro para PC, Playstation 4, Playstation 5, Xbox One, Xbox Series X/S e Nintendo Switch.

O novo pacote conta com quatro jogos da franquia. São eles: “Castlevania: Dracula X” (1995), do Super Nintendo e “Castlevania: Circle of the Moon” (2001), “Castlevania: Harmony of Dissonance” (2002) e “Castlevania: Aria of Sorrow” (2003) do portátil Game Boy Advance.

Além disso, a coletânea também dispõe de uma galeria de arte, com ilustrações de inúmeros personagens, cenários e vilões da saga e uma biblioteca de música, que traz clássicos como “Divine Bloodlines” e “Vampire Killer” para serem apreciados pelo jogador, no momento que ele bem entender.

Com o passar do tempo, a franquia “Castlevania” passou por algumas reformulações em seu gameplay. Seu primeiro estilo, batizado por muitos jogadores como "classicvania", segue um padrão linear de jogabilidade, onde o personagem deve apenas seguir em frente e vencer todos os inimigos que surgem pelo caminho. Esse estilo pode ser conferido no “Castlevania: Dracula X” presente em “Advance Collection”.

Já os demais jogos da coletânea, marcam a fase “metroidvania” da franquia, estilo de jogo conhecido por quebrar a linearidade, incorporar elementos da franquia “Metroid” e focar-se na exploração do mapa. A saga aderiu a esse estilo de gameplay em “Castlevania: Symphony of the Night” (1997) do Playstation One, graças ao produtor e diretor criativo Koji Igarashi, que trouxe uma nova visão para a série.

Por conta do sucesso, “Symphony of the Night” se tornou uma referência para a franquia e, três dos jogos presentes em “Advance Collection”, são sequências que bebem da fonte criada por Igarashi.

“Circle of the Moon” foi o único da trilogia de Game Boy Advanced que não contou com a supervisão de Igarashi na produção, por conta disso, o título comete alguns deslizes, entre eles, o level design confuso do castelo; um sistema de batalhas baseado em cartas que, depende exclusivamente dos atributos de sorte; poucos itens de curas; e uma dificuldade excessivamente punitiva.

Em “Harmony of Dissonance”, Igarashi retorna como diretor do game. As referências a “Symphony of the Night” vão desde o visual do protagonista até o level design do mapa, dividido em dois castelos, semelhante ao que ocorre na aventura do PS1.

Além disso, o diretor aproveitou alguns elementos descartados de “Symphony of the Night” em “Harmony of Dissonance”, como por exemplo, o quarto vazio, que possibilita ao jogador mobiliá-lo com os móveis encontrados no castelo do temível Drácula.

Para fechar o pacote, “Aria of Sorrow”, tido como o favorito de muitos jogadores, é também uma sequência direta de “Symphony of the Night”. Além de conter todos os elementos que consagraram a franquia, o game permite que o jogador absorva a alma dos seus inimigos e replique suas habilidades. O título também se destaca por sua história profunda e cheia de reviravoltas.

“Castlevania Advance Collection” relembra o auge da franquia, além de tornar acessível jogos que, até então, só estavam disponíveis em consoles portáteis ou por meio da emulação. Em ambas as plataformas, o pacote é vendido por R$99 e pode ser uma ótima oportunidade para os que desejam revisitar ou para os jogadores que não tiveram acesso aos games na época de seus lançamentos.

COMENTÁRIOS dos leitores