Em busca de negócios, empresas criam comunidades online

ter, 06/04/2021 - 13:27

Foto: Pexels

Com os brasileiros cada vez mais conectados pelo digital, o mundo organizacional viu aí uma oportunidade de negócio para ampliar a sua reputação junto dos clientes. Como consequência do advento da tecnologia, empresas dos quatro cantos do globo apostaram na inclusão de uma componente social no pacote que as mesmas têm para oferecer online, de maneira a criarem comunidades que compartilham informações e sugestões, aproximando os consumidores.

De acordo com um estudo desenvolvido pela empresa londrina GlobalWebIndex, entre 2014 e 2019 o consumo mundial de redes sociais cresceu em cerca de 60%. Neste cenário, os brasileiros ocupam uma posição de destaque, sendo o país considerado o segundo do mundo que mais tempo passa nestas ferramentas, o que equivale a uma média de 225 minutos diários por pessoa em 2019.

O comportamento dos usuários online vem mudando nos últimos anos e plataformas como o WhatsApp ou o Instagram já fazem parte do quotidiano da maioria dos brasileiros. A própria interação da população com as organizações se transformou e, de acordo com a empresa de software Salesforce, 71% dos contatos que as pessoas do país fizeram com este universo foi por algum meio digital.

Com isso, o setor empresarial tirou proveito desta relação virtual e viu na criação de comunidades online uma vantagem de unir seus clientes através da marca e, assim, entender as necessidades de seus consumidores e adaptar seus produtos ou serviços de acordo com a demanda.

Dar voz aos clientes em qualquer área de atividade

Foto: Unsplash

Há algum tempo as organizações trabalham a componente social entre os clientes. Quem o faz de forma eficaz é uma conhecida de todos: a LEGO. Considerada a empresa mais poderosa do mundo em 2015, esta marca criou a plataforma LEGO Ideas, que permite a seus consumidores compartilhar criações uns com os outros. Além disso, a ferramenta preza pela voz dos seus clientes ao possibilitar que os mesmos façam suas propostas na plataforma. Se a sugestão reunir 10 mil ou mais apoiadores, então a mesma é enviada para um comitê que a vai rever e analisar e, possivelmente, aprovar para começar a fazer parte dos artigos LEGO.

Na verdade, vários segmentos de negócio vêm utilizando esta forma de comunicação, até mesmo no setor financeiro. A plataforma de negociação de Forex e ações Infinox implantou com sucesso o IX Social: uma comunidade de investidores que compartilham suas próprias estratégias, assim como criam grupos de discussão — dessa forma, podem ajudar uns aos outros com dicas que podem ser valiosas para ter sucesso nas transações. Esse negócio vem se tornando cada vez mais popular e, com a democratização do digital, as diferentes ferramentas de negociação e seu material de educação e análise são um grande atrativo que une pessoas neste setor.

Por fim, a empresa brasileira Nubank também apresentou uma clara evolução na sua relação com os clientes graças a um fórum criado pela fintech. Com o objetivo de unir os seus clientes através da troca de experiências e até de questões que podem ser esclarecidas por outros consumidores, esta organização foi capaz de responder às necessidades da sua comunidade.

Como pode ver, o mundo empresarial vem evoluindo a sua mentalidade digital. Com isso, organizações de todos os nichos vem ampliando sua presença online e, com o crescimento da criação de comunidades para os seus clientes, têm colhido inúmeros benefícios.

COMENTÁRIOS dos leitores