Na Escócia, drones auxiliam no monitoramento da Covid-19

O chefe de planejamento estratégico destacou a expansão dos serviços de saúde para comunidades mais remotas

por Victor Gouveia ter, 23/02/2021 - 09:37
Divulgação/Skyports A parceria com a NHS estipulou que os drones carreguem três quilos de itens médicos em distâncias de até 64 quilômetros Divulgação/Skyports

Para acelerar o processo de monitoramento da pandemia na Escócia, o Serviço Nacional de Saúde (NHS) do Reino Unido passou a transportar amostras e kits de testes da Covid-19 em drones. Com capacidade de carregar 3 quilos, os dispositivos tiveram a área de atuação expandida para cobrir até 64 km.

Os drones Swoop Aero serão guiados em uma central, localizada em Oban, e voarão automaticamente nas rotas já estabelecidas. O contato será mantido por meio de conexão 4G da Vodafone e via satélite, para garantir que a comunicação não seja perdida.

Após a fase de testes em 2020, os voos de Mull, Clachan-Seil e Lochgilphead para Lorn e o Hospital das Ilhas em Oban foram autorizados, e a empresa Skyports recebeu permissão da Autoridade de Aviação Civil para voos. A proposta é que a NHS possa escolher entre o agendamento de pedidos e o esquema on-demand, por meio de um sistema online.  

O presidente-executivo da Skyports, Duncan Walker, almeja voos médicos permanentes e acredita que a inovação o aproxime do objetivo. "Esta iniciativa é uma progressão natural de nossos testes recentes com o NHS na Escócia à medida que ampliamos nossas operações, apoiando uma rede mais ampla de hospitais e consultórios médicos à medida que continuam respondendo à pandemia Covid-19", disse à BBC.

A princípio, os Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) vão atender as regiões entre Lorn e Islands Hospital em Oban, Mid-Argyll Community Hospital em Lochgilphead, Easdale Medical Practice em Clachan Seil e o Mull and Iona Community Hospital em Craignure.

O chefe de planejamento estratégico da Argyll and Bute Health and Social Care Partnership, Stephen Whiston, destacou a importância de qualificar o serviço de saúde em "comunidades mais remotas e insulares", e acrescentou, "este projeto de três meses trabalhando com Skyports fornecerá evidências críticas sobre os benefícios reais que esta tecnologia pode trazer para o NHS, não apenas em Argyll e Bute, mas em toda a Escócia".

COMENTÁRIOS dos leitores