Brasileiro joga mais no celular e por mais tempo

Maioria dos jogadores aceita anúncios nos games, apesar deste marketing ainda ser fortemente criticado por 62% dos players

por Nathália Guimarães qui, 24/10/2013 - 10:14
Divulgação Smartphones são a 2ª plataforma mais utilizada para jogar, ficando atrás dos computadores Divulgação

Já se foi o tempo que o celular só servia para fazer ligações. Munidos de smartphones, os brasileiros se comunicam, navegam pela internet, utilizam serviços, realizam compras e, claro, jogam. Hoje, estes gadgets representam a 2ª plataforma mais utilizada para jogar, ficando atrás apenas dos computadores, indica pesquisa Game Mobile Brasil, realizada em setembro deste ano. E O levantamento ainda aponta que os players tupiniquins estão dedicando mais tempo aos títulos eletrônicos, enquanto o período médio gasto em 2008 com este tipo de entretenimento era de aproximadamente três horas, neste ano esse indicador foi de quatro horas.

E quem acha que jogar é coisa só de menino, está enganado. Neste ano, as garotas representam 41% dos gamers no Brasil. Enquanto elas preferem títulos de Estratégia, como Final Fantasy, eles optam por jogos de Ação e Aventura. Quando analisado sob a nuance de ambos sexos, este último gênero ocupa o primeiro lugar, sendo escolhido por 22% dos entrevistados.

Quanto as plataformas, 85% prefere jogar no computador, enquanto 73% joga nos smartphones e 66% nos consoles. Já os tablets ocupam 33% desta fatia. Ainda segundo o estudo, o sistema operacional Android é o queridinho pelos gamers da nação verde e amarela, ocupando a liderança em smartphones e tablets, com 70% e 71% de presença no mercado respectivamente. A Apple ficou em segundo lugar em ambos aspectos e a Microsoft em terceiro. Desta fatia de jogadores mobile, 77% utilizam o 3G em seus celulares.

Sobre os anúncios, a maioria dos jogadores aceita este tipo de propaganda, apesar deste marketing ainda ser fortemente criticado por 62% dos players entrevistados, já que chega a atrapalhar a ação de quando se está jogando em algum momento. Sobre a compra de aplicações do gênero jogo, 83% possuem o hábito de realizar download desses apps, sendo que 53% afirmam que já pagaram por estes softwares em algum momento e 81% só baixa os gratuitos. Castlevania está entre os mais baixados, ocupando 12% da fatia de mercado deste ano.

Ainda sobre a monetização dos títulos para plataformas mobile, o estudo revelou que comprar um app deste gênero é uma atividade praticada cada vez menos e isso se deve a grande quantidade de opções gratuitas no mercado. Dos entrevistados, 98% afirmam que já chegaram a pagar R$ 5,00 por um app, e apenas 7% chegou a desembolsar mais de R$ 30,00.

COMENTÁRIOS dos leitores