Com controles melhores, "PES 2012" evolui

Jogo tem narração em Português e ganha na facilidade em fazer dribles

pcworldpor Nowdigital qua, 28/09/2011 - 13:05

Mesmo tendo lutado nos últimos anos para manter o passo com a série “FIFA”, da EA, a franquia de futebol "Pro Evolution Soccer", da Konami, ainda possui características únicas e atraentes que a fazem merecer um olhar mais atento.

O controle dos jogadores é uma dessas características em que “Pro Evolution Soccer 2012" (R$ 199) se diferencia. Dar um drible parece algo tão direto, imediato e responsivo que me encontro tentando fazer um lance solo no estilo Ronaldo quando deveria na verdade estar tocando a bola. E há uma lista de dribles e movimentos complexos para aprender e usar. Felizmente, você pode mapear uma série deles para uma simples combinação “LB + botão direcional direito” para criar seu próprio conjunto individualizado de fintas, tornando-as muito mais fáceis de serem realizadas em momentos chave dos jogos. A sensação é incrível quando elas funcionam e você consegue passar por dois zagueiros para sair sozinho para um chute livre.

01.jpg

Novo game de futebol da Konami traz bons controles de dribles para os jogadores

Outra parte bacana do controle dos jogadores vem na forma de novos itens de configuração. Agora você pode usar a alavanca analógica direita em faltas, arremessos laterais e escanteios para selecionar o jogador que você quer que receba o passe, então fazer a corrida por contra própria e pedir a bola. Ainda não tive muito sucesso em derrotar o computador com esses movimentos, mas já prevejo que vou aterrorizar alguns amigos com essa novidade interessante.

Já o toque de bola já foi algo um pouco mais problemático e frustrante em meus testes. “Pro Evolution” usa um medidor de força embaixo do seu jogador para indicar a força e a altura do passe, chute ou arremesso — quanto mais você segura o botão, mais alta/distante será a viagem da bola. Faz sentido no papel, mas na prática, quando você está tentando mandar a bola para um jogador mais avançado no gramado, algumas vezes acabo fazendo um lançamento em vez de passar a bola para um companheiro a apenas alguns metros de mim, mesmo quando deixo o medidor de força no mínimo (o inverso também acontece). É tudo muito imprevisível e leva a muitas perdas de bola inesperadas. No outro lado da moeda, descobri que os cruzamentos de bola são muito precisos, levando a um número excessivo de gols (apesar de isso acontecer em parte por causa de defesas com IA problemática que aparentemente ignoram meu atacante enquanto a bola viaja). Nem mesmo jogadores profissionais conseguem colocar a bola no lugar exato todas as vezes.

03.jpg

Apesar de possuir menos licenças do que rival "FIFA", "PES" traz narração em Português como vantagem

Infelizmente, você perceberá logo no início que “Pro Evolution Soccer 2012” ainda está muito longe do rival em termos de apresentação geral. Apesar de a Konami ter conseguido as licenças exclusivas de campeonatos importantes como a Taça Libertadores da América, a Copa dos Campeões da Europa e a UEFA Europa, eles ainda não conseguem alcançar o número de licenças de “FIFA”. E o acabamento do conjunto, desde os menus até as interações cinemáticas, não parece tão profissional quanto o do rival. Os gráficos são bons e a aparência dos jogadores é impressionante, mas em termos de movimentação eles tem algo um pouco titubeante, quase aos trancos, que não consegue alcançar a fluidez de “FIFA”.

No entanto, estranhamente achei que essa aparente falta de refinamento é um dos pontos fortes de “Pro Evolution Soccer 2012”. Algumas das peculariedades que eu poderia facilmente colocar como negativas dão ao jogo uma espécie de personalidade que é incomum de encontrar entre games esportivos. Nunca acontece de duas partidas — mesmo entre os mesmos times — parecerem exatamente iguais, e é esse elemento de surpresa que pode tornar, ao menos offline, “Pro Evolution Soccer ” o meu game de futebol oficial nesta temporada.

Por fim, "Pro Evolution Soccer 2012" traz um diferencial interessante para o público brasileiro: a presença da narração em nosso idioma (não disponível em "FIFA"), na voz do lendário narrador Silvio Luiz, além dos comentários do jornalista especializado Mauro Beting. Outra ligação com nosso país é a presença do craque Neymar, do Santos, na capa do game, juntamente com o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid.

COMENTÁRIOS dos leitores