Lula e Blinken concordaram com necessidade de criação de Estado Palestino, afirma Planalto

A visita de Blinken ocorre no âmbito da reunião de chanceleres do G20, no Rio de Janeiro, mas coincide com a crise diplomática entre Brasil e Israel

Lula e Blinken concordaram com necessidade de criação de Estado Palestino, afirma Planalto

Blinken e Lula falaram sobre a geopolítica mundial. Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, concordaram com a necessidade de criação de um Estado Palestino, na esteira da guerra no Oriente Médio travada em outubro de 2023. A concordância ocorreu durante reunião realizada nesta quarta-feira, 21, entre ambos no Palácio do Planalto.

De acordo com nota divulgada pelo governo federal, o encontro da manhã desta quarta-feira durou cerca de 1h50. Dentre os assuntos abordados, Blinken e Lula falaram sobre a geopolítica mundial.

“O secretário agradeceu a atuação do Brasil pelo diálogo entre Venezuela e a Guiana. O presidente Lula reafirmou seu desejo pela paz e fim dos conflitos na Ucrânia e na Faixa de Gaza. Ambos concordaram com a necessidade de criação de um Estado Palestino”, diz a publicação.

A visita de Blinken ocorre no âmbito da reunião de chanceleres do G20, no Rio de Janeiro, mas coincide com a crise diplomática entre Brasil e Israel, que tem nos Estados Unidos um dos seus maiores aliados.

No domingo, 18, em coletiva de imprensa realizada na Etiópia, o chefe do Executivo brasileiro fez um paralelo entre a morte de palestinos com o extermínio de judeus feito pelo líder da Alemanha Nazista, Adolf Hitler. Durante o regime nazista, que ocorreu entre 1933 e 1945, 6 milhões de judeus foram mortos.

Lula reiterou, no encontro da manhã desta quarta, a necessidade de reforma dos organismos financeiros internacionais e o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), crítica que vem sendo recorrente em seus discursos.

Segundo o Palácio do Planalto, a visão do presidente brasileiro foi apoiada por Blinken. Além disso, o secretário também elogiou a escolha dos temas do Brasil para a cúpula do G-20 no Rio Janeiro: reforma da governança global, combate à fome e à miséria e transição energética.

Já na área econômica, o Palácio do Planalto divulgou que ambos discutiram sobre “parcerias trilaterais em agricultura, segurança alimentar e infraestrutura na África”. Lula ressaltou a urgência em abordar o tema da dívida externa dos países africanos.

Fundo Amazônia

A nota afirma que Blinken informou que os Estados Unidos estudam a realização de um novo aporte para o Fundo Amazônia. Contudo, não foram divulgados detalhes sobre valores. Ainda foi tratada a cooperação dos dois países na área ambiental, transição energética, fóruns empresariais e de infraestrutura.

“O secretário congratulou o Brasil pela aprovação da reforma tributária, recuperação de políticas sociais e de responsabilidade fiscal. Lembrou que os EUA são o principal investidor no Brasil e estão abertos a aprofundar os vínculos econômicos e comerciais entre os dois países”, diz a nota.

No encontro, Lula também registrou apreço pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, “por sua postura em defesa da democracia e pelas medidas que tem adotado em prol dos trabalhadores dos EUA”.

A reunião foi acompanhada pelo assessor especial, embaixador Celso Amorim, e pela embaixadora norte-americana no Brasil, Elizabeth Bagley.