Por golpe, General Heleno pregou ‘virar a mesa’ antes das eleições

O general Augusto Heleno disse que se fosse necessário ‘virar mesa’, indicando o golpe, deveria ser feito antes do segundo turno

Por golpe, General Heleno pregou ‘virar a mesa’ antes das eleições

Foto: Marcos Corrêa/PR

O general Augusto Heleno afirmou que se fosse necessário ‘virar a mesa’ para garantir a manutenção do mandato de Jair Bolsonaro, isso deveria ser feito antes das eleições. O desejo foi revelado durante a reunião entre o então presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus ministros

A fala do general deixa ainda mais clara a intenção de golpe dos aliados e do ex-presidente. O vídeo da reunião foi divulgado nesta sexta-feira (9).

De acordo com Heleno, depois das eleições seria impossível “agir contra determinadas instituições e determinadas pessoas”.

O general disse que as eleições não tinham ‘VAR’, como acontece no futebol, ou segunda chamada. Além disso, Heleno garantiu que seria muito difícil ‘virar a mesa’ após o resultado do segundo turno.

“Não tem VAR nas eleições. Não vai ter segunda chamada na eleição, não vai ter revisão do VAR. Então, o que tiver que ser feito tem que ser feito antes das eleições. Se tiver que dar soco na mesa, é antes das eleições. Se tiver que virar a mesa, é antes das eleições. Depois das eleições, será muito difícil que tenhamos alguma nova perspectiva”, declarou Heleno.

Logo após, prossegue com os argumentos: “Até porque eles vão fazer tão bem feito que essa conversa do Fachin, foi exatamente com os embaixadores para que elimine a possibilidade de o VAR acontecer. No dia seguinte, todo mundo reconhece e fim de papo”.

Heleno queria infiltrar agentes

O general Augusto Heleno também queria infiltrar agentes da inteligência do Governo na campanha de Lula, em 2022. O plano também foi revelado durante a reunião entre o então presidente e seus ministros. Porém, enquanto falava sobre o assunto, o ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) foi repreendido por Bolsonaro.

“General, eu peço que o senhor não fale por favor. Peço que o senhor não prossiga mais na sua observação, não prossiga na sua observação. Se a gente começar a falar ‘não vazar’, esquece. Pode vazar. Então a gente conversa particular na nossa sala sobre esse assunto”, diz Bolsonaro.