Bolsonaro convocou ministros para tentativa de golpe antes das eleições

Golpe seria orquestrado para impedir que Lula ganhasse as eleições de 2022 através de “fraude” da esquerda

Bolsonaro convocou ministros para tentativa de golpe antes das eleições

Reunião de Jair Bolsonaro junto a ministros e militares. Objetivo era orquestrar um golpe antes das eleições de 2022. Foto: Reprodução/X/O Globo

Enquanto ainda era presidente, Jair Bolsonaro (PL) sugeriu que seus ministros e militares mobilizassem uma tentativa de golpe antes das eleições de 2022. O pedido surgiu em uma reunião ministerial que aconteceu em 5 de julho daquele ano, quando a campanha dos presidenciáveis já estava em andamento. A preocupação do então mandatário era de que a esquerda conseguisse orquestrar uma “fraude” para a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O encontro teve o conteúdo revelado, em vídeo, pelo jornal O Globo, nesta sexta-feira (9).

A colunista Bela Magale teve acesso a mais de uma hora de vídeo da reunião. Essas imagens foram utilizadas pela Polícia Federal (PF) para a deflagração da Operação Tempus Veritatis, nessa quinta-feira (8). Bolsonaro está entre os investigados, ao lado de bolsonaristas como o tenente-coronel Mauro Cid e o ex-ministro Anderson Torres.

Xingamentos e ofensas a ministros

A gravação mostra Jair Bolsonaro desferindo ataques a Lula, a quem chega a se referir como “satanás”, com sucessivas ofensas a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), em especial Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso.

“Nós sabemos que, se a gente reagir depois das eleições, vai ter um caos no Brasil, vai virar uma grande guerrilha, uma fogueira no Brasil. Pois, alguém tem dúvida que a esquerda, como está indo, vai ganhar as eleições? Não adianta eu ter 80% dos votos. Assim eles vão ganhar as eleições”, disse Bolsonaro, insinuando que a esquerda já teria garantido a eleição através de uma fraude.

“Todos aqui têm uma inteligência bem acima da média. Todos aqui, como todo povo ali fora, têm algo a perder. Nós não podemos, pessoal, deixar chegar as eleições e acontecer o que está pintado, está pintado. Eu parei de falar em voto imp… e eleições há umas três semanas. Vocês estão vendo agora que… eu acho que chegaram à conclusão. A gente vai ter que fazer alguma coisa antes”, alerta o ex-presidente.

Além disso, Bolsonaro defende que todos os integrantes da Comissão de Transparência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) façam uma nota conjunta, afirmando que “a lisura das eleições são (sic) simplesmente impossíveis de ser (sic) atingidas” e defende um golpe antes do pleito de 2022.

LeiaJá também

Lideranças bolsonaristas se manifestam contra operação da PF

Heleno sondou Abin para infiltrar agentes em campanhas de rivais de Bolsonaro