Ato contra Bolsonaro tem distribuição de máscaras e álcool

No Recife, a organização montou uma comissão de biossegurança formada por 150 voluntários

sab, 29/05/2021 - 11:12
Rafael Bandeira/LeiaJá Imagens Manifestante de máscara PFF2 e álcool 70% na mão Rafael Bandeira/LeiaJá Imagens

O respeito às regras sanitárias para garantir a saúde dos manifestantes contra o coronavírus foi uma preocupação da organização do protesto pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro, no Recife. Na manhã deste sábado (29), após a concentração na Praça do Derby, o ato seguiu em fila pelas ruas do Centro.

Na capital pernambucana, a organização montou uma comissão de biossegurança formada por 150 voluntários, que distribuiu máscaras de proteção tipo PFF2, álcool 70% e orientou os manifestantes a manter distanciamento, o que não foi totalmente obedecido.

"A ideia era fazer um ato simbólico, mas a população também mostra que tá querendo ir para as ruas. A orientação era para ser menos gente", comentou o diretor do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST), Paulo Mansan, que se mostrou surpreso com a adesão ao ato.

A Polícia Militar chegou a impedir que os carros de som acompanhassem a passeata, mas milhares de pessoas caminham em direção à Avenida Conde da Boa Vista pela destituição do do presidente Jair Bolsonaro e do seu vice, o general Hamilton Mourão (PRTB).

Diante das mais de 459 mil vítimas fatais da Covid-19 no Brasil - segundo o Conass - o protesto cobra por agilidade na vacinação, testagem em massa e auxílio emergencial mínimo de R$ 600.

COMENTÁRIOS dos leitores