“O Brasil está bem, está uma maravilha”, diz Bolsonaro

A declaração foi feita um dia após o presidente falar que o Brasil está “quebrado”

por Lara Tôrres qua, 06/01/2021 - 11:47
Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo . Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo

Após alegar que o Brasil “está quebrado” e não pode fazer nada a respeito, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), atacou (mais uma vez) a imprensa e afirmou que o país está “uma maravilha”. 

“Confusão ontem, você viu? Que eu falei que o Brasil estava quebrado. Não, o Brasil está bem, está uma maravilha. A imprensa sem vergonha, essa imprensa sem vergonha faz uma onda terrível aí. Para imprensa bom estava Lula, Dilma, gastava R$ 3 bilhões por ano para eles", disse o presidente na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília. A declaração foi registrada em vídeo e postada por um canal que apoia Bolsonaro. 

Na terça-feira (5), o mandatário afirmou, em conversa transmitida pelo mesmo canal bolsonarista, que “o Brasil está quebrado, e eu não consigo fazer nada”, em meio a mais ataques aos jornalistas. 

“Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus, potencializado por essa mídia que nós temos. Essa mídia sem caráter. É um trabalho incessante de tentar desgastar para tirar a gente daqui e atender interesses escusos da mídia", alegou Bolsonaro. 

A fala do presidente da República é antagônica à equipe econômica do Governo Federal, que vem alegando publicamente que o país está bem e se recuperando da crise econômica potencializada pela pandemia. No entanto, após as declarações de Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, veio a público tentar minimizar o impacto da afirmação, alegando que Bolsonaro se referia apenas ao setor público. 

“Ele está se referindo, evidentemente, à situação do setor público, que está numa situação financeira difícil. Porque, depois dos excessos de gastos cometidos por governos anteriores, quando chegou o primeiro governo falando que vai cortar forte, foi fulminado pela pandemia. Nós estamos reconhecendo a dificuldade da situação, mas decididos a enfrentar. Nós vamos seguir com as reformas estruturais. Foi só isso”, disse Paulo Guedes ao jornal O Globo. 

O ministro estava de férias, mas precisou interrompê-las devido ao incidente: Após a repercussão forte e negativa das declarações de Bolsonaro, Paulo Guedes foi convocado a uma reunião organizada pelo mandatário no Palácio do Planalto com outros 16 ministros do governo. 

LeiaJá também

--> Bolsonaro culpa indústria por suspender compra de seringas

--> De férias, Guedes participa de reunião no Planalto

--> Bolsonaro para apoiadores: 'O Brasil está quebrado'

COMENTÁRIOS dos leitores