Instituto lança iniciativa para manter legado de Marielle

A "Agenda Marielle" convoca políticos e eleitores a debater pautas que eram defendidas pela vereadora

por Vitória Silva qua, 16/09/2020 - 11:16
Marcelo Camargo/Agência Brasil Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ainda em busca de respostas, a família da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em 2018, lançou na última segunda-feira (14) a “Agenda Marielle”, através do Instituto que leva o nome dela. A iniciativa traz compromissos com práticas e pautas antirracistas, feministas e populares, a partir do legado de Marielle, para as eleições de 2020. 

Do “falar” ao “fazer Marielle”, a proposta é que diferentes partes do corpo democrático, como políticos candidatos e eleitores, engajem-se com as práticas defendidas pela ativista. Para ajudar a cobrar posicionamento de candidaturas, qualquer pessoa poderá se inscrever no site como uma defensora da agenda. 

No anúncio da agenda, Anielle Franco, irmã de Marielle e à frente do Instituto, declarou em suas redes sociais que estava orgulhosa com a iniciativa. “Uma sistematização inédita do legado de Marielle Franco para contribuir com as eleições 2020”, disse.

O Instituto alerta sobre o contexto das eleições deste ano, que acontecerão sob efeitos da pandemia e grande impacto do aumento da desigualdade social, uma das consequências mais brutas da pandemia do novo coronavírus no Brasil e no mundo. Como Marielle Franco foi uma ativista pelos Direitos Humanos e por várias pautas sociais contemplando minorias fortemente afetadas por essas estatísticas, o debate também está inserido como parte do conhecimento compartilhado a quem se propor a defender a agenda.

A família de Marielle, ainda em 2018, havia relatado os pedidos de apoio de candidatas de todo o país, que se identificaram com a proposta da psolista. O número de candidaturas de mulheres pretas naquele ano cresceu cerca de 50%, comparado ao ano de 2014, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

COMENTÁRIOS dos leitores