Allan dos Santos foge do país e diz que STF articula golpe

O blogueiro bolsonarista chamou ministros do STF de criminosos e diz que fugiu por medo de retaliação de opositores

por Victor Gouveia sex, 31/07/2020 - 08:54
Reprodução/Instagram/@allansantosbr Durante a live com aliados, Allan fez uma série de acusações, mas não apresentou provas para embasar os ataques Reprodução/Instagram/@allansantosbr

Investigado no inquérito das fake news pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o blogueiro Allan dos Santos acusou dois ministros da Côrte de arquitetar um golpe contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em uma live com demais bolsonaristas realizada nessa quinta-feira (30), ele chegou a afirmar que fugiu do Brasil por temer pela própria vida.

Impedido de publicar na conta pessoal do Twitter, Allan fez duras acusações durante a transmissão promovida pela deputada federal Bia Kicis (PSL). "[Luís Roberto] Barroso e Alexandre de Moraes são criminosos e estão preparando um golpe contra o presidente", afirmou o blogueiro ao acusar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de prevaricação e frisar no ministro que instaurou a investigação contra ele e a ala bolsonarista.

Desde que iniciou o enfrentamento contra a disseminação de ódio em notícias falsas por parte da direita, de Moraes tornou-se um dos principais alvos dos apoiadores de Bolsonaro. Já Barroso foi envolvido pelo blogueiro por ser o líder do TSE, que se prepara para votar a cassação da chapa do presidente.

Segundo Allan, além Barroso e a família, os ministros Edson Fachin e o próprio Alexandre de Moraes iriam sair do Brasil após a votação. Contudo, o próprio blogueiro fugiu do país. "Eu não podia dar essa informação no Brasil por que eu temo pela minha vida, e dos meus filhos e da minha família", revelou, sem informar sua atual localização.

Mesmo fora do Brasil, ele teme por alguma ação criminosa de opositores e listou uma série de possíveis suspeitos, caso haja algum tipo de retaliação. "Se alguma coisa acontecer comigo ou com minha família só veio dessas pessoas e grupos: a embaixada da China em Brasília, a embaixada da Coreia do Norte em Brasília, do Kakay, que é do Partido dos Trabalhadores, do Barroso ou do Alexandre. Não tem como vir de outra pessoa", disparou.

Embed:

COMENTÁRIOS dos leitores