"O Brasil está sem comando", dispara Paulo Câmara

Apesar do pronunciamento do presidente da República, o governador disse que as medidas de isolamento seguem em Pernambuco

por Victor Gouveia qua, 25/03/2020 - 08:12
LeiaJáImagens/Arquivos O governador garantiu a continuidade das restrições para conter a pandemia em Pernambuco LeiaJáImagens/Arquivos

Após o pronunciamento controverso sobre a suspensão da quarentena feito na noite dessa terça-feira (24), o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu uma enxurrada de críticas do Congresso, gestores estaduais e municipais, profissionais da saúde, além da sociedade civil. O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, foi um dos que discordaram do posicionamento. Na ótica do pessebista, o presidente vai na contramão do que o próprio Ministério da Saúde recomenda.

"Discurso que, lamentavelmente, comprova que o Brasil está sem comando num dos momentos mais desafiadores da história", publicou Câmara em uma rede social. Ele rebateu as palavras de Bolsonaro que, em mais uma oportunidade, minimizou os efeitos da covid-19, classificando-a como uma "gripezinha" e "resfriadinho", ainda que a doença já tenha matado cerca de 19 mil pessoas em todo o mundo e infectado mais de 400 mil.

"Enquanto líderes de vários países tomam medidas necessárias para conter o avanço no novo coronavírus, aqui no Brasil, em pronunciamento veiculado em Rede Nacional, o presidente Jair Bolsonaro vai na contramão do que defendem autoridades sanitárias e o próprio Ministério da Saúde", frisou o governador.

É esperado que o pico do surto no Brasil ocorra no mês de abril e que, fatalmente, todo o sistema de saúde entre em colapso, como visto na Itália. A melhor maneira de conter o avanço novo coronavírus em território nacional é cumprir o isolamento domiciliar, como já foi apontado inúmeras vezes pelo ministro da Saúde, Luiz  Henrique Mandetta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) também reforça as medidas e pede que as pessoas evitem aglomerações e higienizem bem as mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%.

O país já registrou 46 mortes e mais de 2.000 casos confirmados da covid-19. Contudo, especialistas afirmam que o número de infectados é muito maior que o calculado devido à defasagem da realização de testes. Para evitar a propagação em Pernambuco, Câmara garantiu que vai contrariar a posição de Bolsonaro e continuará mantendo medidas restritivas para o comércio e mobilidade. "O sacrifício é imenso, mas todo esforço tem o único objetivo de salvar vidas. Por isso, em PE, as medidas estão mantidas. É tempo de serenidade, união e trabalho", pontuou.

Embed:

LeiaJá também:



--> Bolsonaro é de alvo de panelaços durante pronunciamento

--> Pronunciamento de Bolsonaro foi "equivocado", diz Maia

--> Alcolumbre: "País precisa de liderança séria, responsável"

COMENTÁRIOS dos leitores