Além do papa, Lula se reuniu com lideranças na Itália

Petista foi recebido por sindicalistas e expoentes do governo

sex, 14/02/2020 - 07:23
Ricardo Stuckert Ricardo Stuckert

O papa Francisco recebeu nesta quinta-feira (13), em audiência privada no Vaticano, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva. O encontro ocorreu por volta de 16h locais (12h em Brasília), na Casa Santa Marta, e foi intermediado pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández, que tinha se reunido com o líder católico em 31 de janeiro.

Apesar do Vaticano não comentar a reunião, alegando que se trata de um evento informal e privado, Lula contou, pelo Twitter, que falou com Francisco sobre "um mundo mais justo e fraterno". Já segundo o Instituto Lula, que publicou duas fotos do encontro, o Papa e o ex-mandatário discutiram "soluções para as injustiças e desigualdades no mundo".

Uma das imagens divulgadas mostra Francisco abençoando o petista com uma mão em sua testa. Após o encontro com Francisco, Lula visitou a sede da Confederação Geral Italiana do Trabalho (CGIL), em Roma. "É uma grande emoção ter Lula hoje, aqui, conosco. A CISL e o mundo sindical ainda precisam muito dele. Este encontro nos dá coragem e força para seguir adiante na nossa atividade sindical", escreveu, no Twitter, a secretária-geral da CISL, Annmaria Furlan.

O petista se reuniu também com os líderes dos sindicatos CGIL e UIL, Maurizio Landini e Carmelo Barbagallo, respectivamente. "Eu não podia concluir minha visita à Itália sem encontrar as grandes centrais sindicais que, por muitos anos, me apoiaram e ajudaram minha atividade sindical. A luta segue adiante", comentou o petista.

Ao longo do dia, Lula ainda conversou com expoentes políticos italianos e membros do atual governo, como o ministro da Saúde, Roberto Speranza, o ex-primeiro-ministro Massimo d'Alema e o secretário do Partido Democrático (PD), Nicola Zingaretti.

"Belíssimo encontro com Lula. A sua luta pela liberdade e democracia no Brasil é a nossa luta", escreveu o movimento político Articolo Uno nas redes sociais, com fotos de Lula ao lado de d'Alema e Speranza.

"Olhas nos olhos de cada pessoa. Enfrentar os problemas sem medo, sem atalhos da extrema-direita, que indica os inimigos e depois derruba a economia", exaltou, por sua vez, Zingaretti.

"Belíssima conversa com Lula, um protagonista extraordinário das batalhas contra a desigualdade", ressaltou. "Foi um prazer poder abraçar novamente o amigo Lula, que está em Roma para um encontro com o papa Francisco. Há cerca de dois anos, eu fui encontra-lo na prisão, em Curitiba. Revê-lo em liberdade foi uma grande emoção", afirmou o ministro da Economia da Itália, Roberto Gualtieri.

Para Lula, a visita a Roma é sua primeira viagem internacional desde que deixou a prisão, em novembro, graças a um novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (SFT) para detenções em segunda instância. Por conta da reunião com o Papa, a Justiça Federal adiou um depoimento de Lula sobre a suposta venda de uma medida provisória para empresas automotivas, que estava previsto para 11 de fevereiro

Embed:

Da Ansa

COMENTÁRIOS dos leitores