O mundo tem acreditado em nós, diz Bolsonaro

Presidente afirmou que órgãos de controle são aliados na tarefa de dar segurança jurídica aos investidores

qui, 28/11/2019 - 12:29
 Marcos Corrêa/PR Marcos Corrêa/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse nesta quinta-feira, 28, que é preciso dar garantia jurídica para quem deseja investir no Brasil. "O mundo tem acreditado em nós. Temos de dar garantia jurídica a pessoas, países e empresas que querem investir no Brasil e querem ser parceiros nossos", comentou.

Bolsonaro afirmou que órgãos de controle são aliados na tarefa de dar segurança jurídica. Bolsonaro fez elogios à decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de aprovar a renovação antecipada da concessão ferroviária da Malha Paulista.

"Estamos recuperando modal ferroviário. TCU prestou mais um trabalho excepcional", disse o presidente.

Bolsonaro discursou na abertura do 3º Fórum Nacional de Controle, evento coordenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O tema do fórum é "integrando o Brasil para fazer bem".

A abertura do evento ainda contou com as seguintes autoridades: o procurador-geral da República, Augusto Aras; o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade; o presidente da Caixa, Pedro Guimarães; o vice-presidente da República, Hamilton Mourão; o ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário; o presidente do TCU, José Múcio Monteiro; e o ministro do TCU Augusto Nardes.

No evento, Bolsonaro disse que, como chefe do Executivo, tem "muita preocupação" e que "esse evento visa exatamente nos tranquilizar".

O presidente citou como desestímulo à carreira política "problemas depois do mandato". "Vejo colegas de boa fé que exerceram mandato, às vezes não com devido zelo, por desconhecimento muitas vezes, se veem enrolados com a Justiça", afirmou Bolsonaro. "Sinto que tem muito município em que dificilmente teremos candidatos a prefeito. Se tiver, vai ser voltado não por interesse de ajudar município, (mas por) interesses outros", declarou Bolsonaro.

Augusto Aras

O procurador-geral da República disse no evento que é preciso promover diálogo institucional. "Não significa dizer que não haja tensão permanente entre as diversas forças", disse.

COMENTÁRIOS dos leitores