Flávio: Glenn e David teriam comprado mandato de Wyllys

Na CCJ, o senador Flávio Bolsonaro leu uma denúncia que diz que "Glenn e David teriam comprado o mandato de Wyllys por 700 mil dólares, além de uma mesada de 10 mil dólares para o ex-bbb"

qua, 19/06/2019 - 15:12
Tânia Rêgo/Agência Brasil Flávio Bolsonaro saiu em defesa do ministro Moro Tânia Rêgo/Agência Brasil

Durante audiência na audiência a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, o ministro da Justiça Sergio Moro recebeu o apoio do senador Flavio Bolsonaro (PSL), que é filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Desde às 9h desta quarta-feira (19), Moro está no Senado dando esclarecimentos sobre o vazamento de conversas suas com procuradores da Operação Lava Jato, que veio a tona no último dia 9 de junho pelo site The Intercept.

“Além de todos os absurdos, há um conluio que foi estabelecido contra o presidente da República”, iniciou Flávio Bolsonaro, mostrando-se insatisfeito com as acusações que Sergio Moro vem recebendo nos últimos dias.

O senador ainda leu uma denúncia que coloca em cheque a integridade do jornalista Glenn Greenwald, seu marido David Miranda (PSOL) e o ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL). “Glenn e David teriam comprado o mandato de Wyllys por 700 mil dólares, além de uma mesada de 10 mil dólares para o ex-bbb”, leu Flávio.

O filho do presidente questionou ao ministro se a Polícia Federal estaria investigando esse caso, que respondeu assentindo. Por fim, Flávio voltou a dizer que está havendo um conluio. “É convocado por vários senadores desta Casa, assim como por outros parlamentares. É um absurdo”, opinou.

“Agradeço a suas considerações. De fato o senhor foi uma testemunha de que todas as especulações de que eu tinha algo combinado com o presidente são falsas, até porque eu não conhecia Bolsonaro antes das eleições do ano passado”, explicou Moro.

O ministro da Justiça aproveitou para explicar outras polêmicas envolvendo seu nome no governo. “Bolsonaro nunca me prometeu vaga no Supremo, assim como disseram que eu exigi o Coaf, sendo que eu nunca exigi o nada. O Coaf me foi oferecido”, pontuou.

COMENTÁRIOS dos leitores