Lava Jato: defesa de Da Fonte exibe provas entregues à PF

De acordo com documentos, empresários compraram veículos na concessionária da família do progressista e parte dos valores foi pago por meio do Posto da Torre, pivô da Operação Lava Jato

por Élida Maria ter, 28/07/2015 - 15:09
Divulgação/Assessoria de Imprensa/Arquivo Segundo defesa, o parlamentar não tem envolvimento com a Operação Lava Jato Divulgação/Assessoria de Imprensa/Arquivo

Após quase 15 dias de a Polícia Federal (PF) fazer buscas e apreensões na concessionária da família do deputado federal Eduardo da Fonte (PP), no Recife, a defesa do parlamentar se manifestou nesta terça-feira (28). Foram enviados à imprensa comprovantes de depósitos bancários feitos pelo cliente Prime Refeições e Lanches LTDA na conta da empresa da família do deputado que motivaram a realização da investigação. 

Segundo os documentos, Cristiane Couto e Ivo Queiroz, donos da empresa Prime Refeições e Lanches LTDA, proprietária do restaurante Boungustaio, em Boa Viagem, compraram, em 2011, veículos na concessionária ADPL Motors, da família de Eduardo da Fonte, e fizeram – segundo comprovantes encaminhados à PF – dois depósitos, nos valores de R$ 30mil e de R$ 16.610,00 mil, como parte do pagamento. O restante foi financiado pela Caixa Econômica Federal.

De acordo com alegação da defesa, o valor depositado pela Prime Refeições para compra dos veículos foi repassado pelo Posto da Torre (pivô da Operação Lava Jato). No entanto, a cópia da documentação de venda dos veículos foi entregue ao delegado da Polícia Federal e à justiça. Fora esse documentos, a defesa de Eduardo da Fonte também adiantou que outros pontos que o envolveram na Operação Lava Jato já foram esclarecidos à justiça.

COMENTÁRIOS dos leitores