Instituto de Direito Público presta homenagem a Campos

Em cerimônia em Brasília, foi concedido o título de doutor honoris causa ao ex-governador de Pernambuco

por Dulce Mesquita qua, 10/06/2015 - 11:31
Dulce Mesquita/LeiaJáImagens O governador de Pernambuco Paulo Câmara recebeu a placa de homenagem a Campos Dulce Mesquita/LeiaJáImagens

O Instituto Brasiliense de Direito Público concedeu, nesta quarta-feira (10), o título de doutor honoris causa ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. Na solenidade, realizada no Auditório do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, em Brasília, o atual governador do Estado, Paulo Câmara, recebeu a placa de homenagem, representando a família de Campos, que não esteve presente.

Câmara leu um texto escrito por Renata especialmente para a solenidade. “Em sua brilhante trajetória, Eduardo deixou marcas profundas na gestão pública e na memória do nosso povo. Essas marcas devem ser lembradas para construir um futuro melhor para o povo. Edardo trouxe à gestão pública o dever de ser eficiente e de que os serviços que se prestam a população tenham qualidade e atendam principalmente aos mais pobres, justamente os que mais precisam do Estado”, disse.

“Eduardo foi um dos brasileiros que mais honraram o país, dedicando-lhe cada dia de forma intensa. Foi um ser humano hiperlativo, por isso alcance grandes números ainda cedo”, ressaltou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, em referência ao grande número de votos recebidos por Campos quando foi candidato a deputado estadual e a governador, bem como à avaliação quando deixou o Governo de Pernambuco.

Na ocasião, foi transmitido um vídeo destacando a trajetória política do socialista, encerrando com a frase “Não vamos desistir do Brasil”, dita por Eduardo em entrevista ao Jornal Nacional, na noite anterior ao acidente aéreo que o vitimou em agosto do ano passado.

“Ele tinha compromisso com o nosso país e nunca se negou a estudar os problemas nacionais, para termos um país que não dependa de programas assistencialistas”, disse o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que fez críticas à gestão econômica da presidente Dilma Rousseff. “Eduardo tinha essa noção, no sentido prático, de desenvolvimento, com destaque para a educação de qualidade e o domínio da tecnologia. Ele viveu intensamente como se sabendo que viveria pouco. A atuação política era paixão”, salientou.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) lembrou-se das conversas  urante o período eleitoral de 2014, em que falavam da necessidade de rever a política de governança do país. “Lembro que nós conversamos muito que a gestão pública não tinha que ser ineficiente só porque é pública, por isso que sempre empreendemos práticas inovadoras de gestão”, disse. “Eduardo tinha características muito próprias. Vi pouquíssimos políticos liderarem como Eduardo, porque não se dava por imposição, era algo absolutamente natural, com capacidade de enxergar adiante”, sustentou.

Também marcaram presença na cerimônia o governador Rodrigo Rollemberg (DF), os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e José Serra (PSDB-SP), os deputados pernambucanos Luciana Santos, Tadeu Alencar e Fernando Bezerra Filho, entre outras autoridades.

A cerimônia integrou a programação do 5º Seminário Internacional de Direito Administrativo e Administração Pública.

COMENTÁRIOS dos leitores