João da Costa lamenta, mas deseja boa sorte a Campos

Mesmo com a ida ao PSB, o ex-prefeito afirma não cortar as relações com o deputado estadual

por Élida Maria sex, 13/09/2013 - 15:26
Clélio Tomaz/LeiaJáImagens O petista reconheceu que a saída do deputado é uma perda para o PT Clélio Tomaz/LeiaJáImagens

A saída do deputado estadual André Campos, do Partido dos Trabalhadores (PT) anunciada nesta semana, foi vista de forma tranquila pelo ex-prefeito do Recife, João da Costa (PT), nesta sexta-feira (13). Durante lançamento oficial da candidatura da deputada estadual, Teresa Leitão ao Processo de Eleição Direta do PT em Pernambuco, o ex-gestor lamentou a migração do parlamentar para o PSB, mas sem demonstrar rancores, desejou sucessos para a nova trajetória política do ex-correligionário.

Opinando sobre a decisão de Campos, o petista disse não concordar com uma possível cassação de mandado do deputado, como foi comentado no cenário político. “Eu acho que não tem clima do PT para pedir a cassação de André Campos. Durante dez anos ele contribui com o partido, foi leal neste período, foi meu secretário na prefeitura e contribuiu para o PT”, defendeu Costa.

Para o ex-chefe do executivo, o deputado mirou novos projetos e mesmo assim não perderá contato com ele. “Avaliou uma nova situação agora, e desejo boa sorte para ele. Nós ficamos no PT, mas temos diálogos com outros e queremos continuar um diálogo com André, ele agora no PSB, mas não vamos ser inimigos por causa disso” ressaltou.

Mesmo comentando com tranquilidade a saída de André Campos, João da Costa reconheceu ser uma perda para a legenda. “Eu acho que é uma perda para o PT e é preciso que o PT se fortaleça para não sofrer novas perdas. Então, a gente lamenta a saída dele, mas vamos continuar com o diálogo com André, um companheiro de 10 anos, porque estamos numa Frente e precisamos dialogar com todos. A gente lamenta, mas deseja boia sorte”, ratificou.

Já o vereador Osmar Ricardo (PT) também presente no evento, disse que o PT tem que seguir as diretrizes, mas demonstrou amizade pelo ex-petista. “Ele é meu amigo, mas deve ter seus motivos. Primeiro eu preciso saber por que ele saiu do PT, se é uma questão pessoal, se é partidária ou se é uma questão interna, até porque ele era ligado a Humberto Costa” opinou.

COMENTÁRIOS dos leitores