As consequências do peeling de fenol para a saúde 

Dermatologista alerta para as consequências que o procedimento pode acarretar, e dá dicas de como garantir segurança no momento da aplicação

As consequências do peeling de fenol para a saúde 

Dermatologista Marina Coutinho atua no Recife. Foto: Wandson Araújo/Divulgação

Há alguns anos o procedimento estético de peeling de fenol vem sendo a escolha de muitas pessoas para o tratamento de rugas e marcas de expressão. No entanto, a utilização indevida do químico pode trazer consequências irreversíveis, inclusive a morte. Foi o que aconteceu com o empresário Henrique Silva Chagas, de 27 anos, que faleceu após a aplicação do produto em uma clínica em São Paulo. 

Mas afinal, por que as pessoas procuram tanto pelo peeling de fenol, mesmo sabendo de eventuais riscos para a saúde? De acordo com a dermatologista Marina Coutinho, o diferencial do peeling de fenol é que o produto se aprofunda nas camadas da pele. “A gente tem peelings que são mais superficiais, e causam uma leve descamação, ou um resultado mais delicado”, explicou. 

“Existem peelings mais profundos, em que vai ter a obstrução das camadas mais superficiais”, continua. 

A especialista explica, portanto, que pessoas com fotoenvelhecimento, o gasto precoce da pele devido à exposição aos raios ultravioletas, procuram o tratamento. Também buscam o produto pessoas “com rugas mais profundas, com uma pele mais envelhecida, ou com cicatrizes de acnes mais agressivas”. 

“Ele é um peeling que traz resultados maravilhosos, quando bem executado, com segurança, quando é bem indicado ao paciente. Mas, por ser também um peeling mais profundo, ele se torna um peeling mais agressivo. E que traz mais efeitos colaterais do que os demais peelings mais superficiais”, disse Coutinho. 

Consequências do peeling de fenol 

Apesar dos efeitos positivos na pele, são várias as consequências pela má administração do fenol na pele. O tóxico, como explica a especialista, pode alterar a pigmentação da pele, como no caso de pessoas de pele clara que ficam com a região em um tom mais escuro. Ou ainda o contrário, como em pacientes que têm a pele mais escura podem ficar com manchas claras. 

Além disso, o peeling de fenol é contraindicado para pessoas com doenças hepáticas, renais, cardíacas, alerta Coutinho. “Pessoas que têm doenças autoimunes, pessoas com diabetes, insulinodependentes. Além de pessoas gestantes ou amamentando”, listou. 

Por ser uma substância cardiotóxica, a médica alerta ainda que ele pode causar arritmia cardíaca. “Quando aplicado, ele é absorvido pela corrente sanguínea e vai ser eliminado pelo fígado e pelos rins”, explicou. Portanto, ao se submeter ao procedimento, o paciente precisa ter os órgãos funcionando normalmente. 

LeiaJá também: 

Clínicas devem obedecer a critérios 

A dermatologista afirma ainda que alguns cuidados específicos são necessários para a realização do tratamento com segurança. “Se você for fazer um fenol no rosto todo (full face), e com a penetração maior. Para um rejuvenescimento maior, realmente precisa de ser feito em um centro cirúrgico, ou em numa sala hospitalar”, complementou. 

Por fim, além dos critérios físicos e estruturais da clínica, é preciso ainda observar as competências técnicas do profissional. “Deve ser indicado para fazer em clínicas que tenham preparo, especializadas, e por médicos que estejam bem-preparados, e que tenham experiência para realizar esse tipo de peeling”, finalizou a médica.