Cesta básica tem aumento no terceiro mês consecutivo em Pernambuco

A cesta básica custa R$ 625,26, o que equivale a um impacto sobre o salário de 44,28%.

Cesta básica tem aumento no terceiro mês consecutivo em Pernambuco

Cesta básica Foto: Arquivo/Agência Brasília

A cesta básica está mais cara para o consumidor pernambucano pelo terceiro mês consecutivo. É o que aponta a pesquisa do Procon-PE mês de fevereiro. Mas a pesquisa, ainda identificou uma diferença que ultrapassou a margem dos 330%, em um mesmo produto vendido em locais diferentes.

Em dezembro de 2023, a cesta básica chegou a custar R$ 611,30, tendo um impacto, no salário mínimo do consumidor, de 46,31%, quando o salário mínimo era de R$ 1.320,00. Ademais, em janeiro deste ano, a cesta sofreu um reajuste e subiu para R$ 620,96. Portanto, há um impacto sob o atual salário mínimo (R$ 1.412,00), de 43,98%. Além disso, no mês de fevereiro, mais um aumento foi registrado, agora, a cesta básica custa R$ 625,26, o que equivale a um impacto sobre o salário de 44,28%.

Um dos produtos que apresentaram a maior variação, porém, o sabão em pó de 500g, que, em seu menor preço foi encontrado por R$1,19 e, em seu maior preço, por R$ 5,15, configurando uma diferença percentual de 332,77%. Ainda na prateleira dos produtos de limpeza, está a lã de aço que apresentou uma variação de 172,66%, sendo encontrada, em um lugar, por R$ 1,28 e, em outro, por R$ 3,49. 

Limpeza pessoal

Os itens de limpeza pessoal, por exemplo, estão entre os produtos que mais variaram. Um exemplo é o papel higiênico de 30 metros (pacote com 04 unidades), encontrado, em seu maior preço, por R$ 8,29 e, em seu menor preço, por R$ 1,95, configurando uma diferença percentual de 325,13%. O absorvente higiênico (pacote com oito unidades) chegou ao percentual de 274,36% de diferença, podendo ser encontrado por R$1,95, no seu menor preço, e por R$ 7,30, no seu maior preço.

Nem só de material de limpeza e de higiene pessoal se faz uma cesta básica. Os itens alimentícios, também, estão entre essas variações que chamam atenção. O quilo da salsicha avulsa apresentou uma variação percentual de 246,09%. Sendo encontrada, em um local, por R$ 5,75 e, em outro, por 19,90. Por fim, a margarina de 250g aparece na lista com uma variação percentual de 161,14%. Sendo encontrada em um lugar, por R$ 2,29 e, em outro, por R$ 5,98.

Pesquisa de preço

“A pesquisa de preço do Procon-PE garante um dos principais direitos do consumidor. O direito à informação dando, inclusive, ao consumidor, a opção de poder comprar no lugar mais barato e, consequentemente, poder comprar mais”, explicou o Secretário Executivo de Justiça e Promoção dos Direitos do Consumidor, Anselmo Araújo.

A pesquisa foi realizada entre os dias 19 e 23/02, e contemplou um total de 27 itens. Dentre os itens: alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal, em 25 supermercados do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Camaragibe e Paulista. A pesquisa está disponível no site do Procon-PE: www.procon.pe.gov.br

*Da assessoria

LeiaJá Também:

Creme ou spray: qual o melhor repelente contra a dengue?