Rússia acusa Ucrânia de 'terrorismo nuclear'

Unidades armadas ucranianas realizaram três bombardeios na área da central nuclear de Zaporizhzhia e da cidade de Energodar [nome russo de Enerhodar]", afirmou o Ministério da Defesa da Rússia

sex, 05/08/2022 - 18:29
Andrey BORODULIN (Arquivo) Militar russo patrulhando o recinto da usina nuclear de Zaporizhzhia, em Enerhodar, em 1º de maio de 2022 Andrey BORODULIN

A Rússia atribuiu, nesta sexta-feira (5), à Ucrânia a responsabilidade pelos bombardeios próximos de um reator da central nuclear ucraniana de Zaporizhzhia, e acusou o governo do presidente Volodimir Zelensky de praticar "terrorismo nuclear".

"Unidades armadas ucranianas realizaram três bombardeios na área da central nuclear de Zaporizhzhia e da cidade de Energodar [nome russo de Enerhodar]", afirmou o Ministério da Defesa da Rússia.

"Instamos a comunidade internacional a condenar as ações criminosas do regime de Zelensky, que comete atos de terrorismo nuclear", acrescentou.

Hoje, a Ucrânia acusou os russos de realizarem bombardeios perto de um reator da usina nuclear, a maior da Europa, que foi tomada pelas forças russas em março, o mês seguinte ao início da invasão do país.

Segundo a empresa estatal ucraniana Energoatom, que administra as centrais nucleares do país, uma linha de alta tensão ficou danificada no ataque, o que provocou a interrupção do funcionamento de um dos reatores da central.

O exército russo, por sua vez, disse que "projéteis ucranianos" danificaram uma tubulação de hidrogênio na usina, provocando um incêndio que foi rapidamente controlado.

"Por uma feliz coincidência, os projéteis ucranianos não tiveram como alvo [...] uma central de oxigênio próxima, o que impediu que acontecesse um incêndio importante e um acidente radioativo", acrescenta a nota.

COMENTÁRIOS dos leitores