PE: Dois delegados investigarão caso de indígena morto

Governador Paulo Câmara determinou que o assassinato de Edvaldo Manoel de Souza, da etnia Atikum, seja acompanhado por João Leonardo Freire e Daniel Angelim

PE: Dois delegados investigarão caso de indígena morto

O governador Paulo Câmara determinou, neste sábado (18), que a Secretaria de Defesa Social designe dois delegados especiais para conduzir a investigação da morte do indígena Edvaldo Manoel de Souza, de 61 anos. De etnia Atikum, Edvaldo foi morto após uma abordagem policial na última quarta-feira (15).

Os delegados escolhidos, que trabalharão em parceria com o Ministério Público, foram João Leonardo Freire e Daniel Angelim. “Além dessa apuração, um inquérito policial militar e um procedimento inicial pela Corregedoria-Geral da SDS também estão em curso”, esclareceu Câmara, por meio de suas redes sociais.

Por meio de nota, a Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (Apoinme) denuncia que Edvaldo foi agredido pelos policiais durante a abordagem, que aconteceu em frente à sua casa, na Aldeia Olho D’Água do Padre, na zona rural de Carnaubeira da Penha, no Sertão pernambucano. 

“Infelizmente mais uma ação de extrema violência, realizada por policiais militares que ao invés de proteger a sociedade, espalham pânico e violência contra pessoas pobres e inocentes”, disse a Apoinme, em nota.