Carnaval: o que é permitido em bares e restaurantes em PE

Decreto proíbe festas em todo o território estadual, mas estabelecimentos comerciais ainda podem funcionar com medidas apropriadas

Carnaval: o que é permitido em bares e restaurantes em PE

Pelo segundo ano consecutivo, as festas carnavalescas serão diferentes e mais limitadas no estado, devido à pandemia da Covid-19. Decreto do governo proíbe festas em todo o território estadual a partir da sexta-feira de carnaval, o próximo dia 25 de fevereiro. Eventos, públicos ou privados, estarão proibidos até 1º de março. 

Até esse período, o decreto que permitia festas com público reduzido, também anunciado neste mês, ainda tem validade. Ou seja, até a quinta-feira (25), ainda fora do período carnavalesco, eventos em ambientes abertos com até 500 pessoas e festas em ambientes fechados com até 300 participantes estarão liberados. Devem ser exigidas comprovação de vacinação e apresentação de teste negativo. Essa norma é válida para locais abertos e fechados, incluindo circos, cinemas, teatros e jogos de futebol. 

Bares e restaurantes 

Para os serviços de alimentação e bebidas, o funcionamento ocorre normalmente. Bares, restaurantes e lanchonetes podem funcionar das 5h à 1h da madrugada, em todo o estado, durante a semana e nos finais de semana e feriados, inclusive localizados em shopping centers, cumprindo regimento interno. Permanece com 80% da capacidade do local, com até 10 pessoas por mesa e distanciamento mínimo de um metro. 

Segue permitida a apresentação musical com até cinco integrantes, com quaisquer instrumentos musicais, incluindo o cantor ou DJ, mas sem dança. Será permitido que as pessoas fiquem em pé, mas usando máscaras. Abertura de pista de danças e aglomerações devem ser notificadas pelo Procon-PE, que realizará operações de fiscalização especiais durante o carnaval. 

Grande Recife 

Além das proibições no decreto estadual, as maiores cidades da Região Metropolitana do Recife já haviam cancelado suas festas carnavalescas e reforçam a proibição de pequenas comemorações e blocos de rua. 

Em Jaboatão dos Guararapes, o prefeito Anderson Ferreira (PL) proibiu o desfile de blocos pelas ruas e eventos abertos. Já a prefeitura de Olinda decretou a proibição de música ao vivo e o uso de equipamentos de som mecânico nos fins de semana, o que se estende para todo o período de carnaval. A medida já está em vigor desde o último dia 3 e também contempla estabelecimentos comerciais, bares e restaurantes que ficam nas ruas e áreas externas de residências do Sítio Histórico. No Recife, houve a suspensão da programação do carnaval deste ano, que ocorreria entre os dias 25 e fevereiro e 5 de março.