Queiroga diz que Doria está fazendo 'palanque' com vacinas

Segundo ministro, governador de São Paulo acha que as vacinas "vão tirá-lo dos 3%"

por Jameson Ramos sex, 14/01/2022 - 18:14
Myke Sena/Ministério da Saúde Ministro disse que vacinas para crianças chegaram em tempo recorde Myke Sena/Ministério da Saúde

Após o Governo de São Paulo sair na frente e vacinar a primeira criança brasileira contra a Covid-19, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que João Doria (PSDB) está usando as vacinas do governo federal para fazer palanque eleitoral.

"O político João Doria subestima a população. Está com as vacinas do governo brasileiro e do povo brasileiro em mãos fazendo palanque. Acha que isso vai tirá-lo dos 3%. Desista! Seu marketing não vai mudar a face da sua gestão. Os paulistas merecem alguém melhor", publicou o ministro nas suas redes sociais.

Queiroga alegou2 que as vacinas pediátricas "chegaram em tempo recorde. Logo após autorização da agência reguladora a farmacêutica começou a produzir as doses e garantiu que esse era o melhor cronograma possível. O Ministério da Saúde garante que todos os pais que quiserem se vacinar terão vacinas", disse.

Embed:

Vacina pediátrica em São Paulo

A primeira criança vacinada contra Covid-19 no Brasil é um garoto indígena de 8 anos. Davi Seremramiwe Xavante vem periodicamente a São Paulo para um tratamento de saúde no Hospital das Clínicas da USP. O Governador João Doria acompanhou o início da campanha estadual para crianças de 5 a 11 anos no início da tarde desta sexta-feira (14).

“O Davi é a primeira criança brasileira a receber a vacina para imunização contra a Covid-19. É um momento histórico para o Brasil. Praticamente um ano após São Paulo iniciar a vacinação aqui no Hospital das Clínicas”, disse o governador.

A campanha de vacinação infantil em São Paulo começou imediatamente após a entrega do lote inicial de 234 mil vacinas pediátricas da Pfizer à Secretaria de Estado da Saúde. As equipes da pasta receberam o imunizante no final da manhã desta sexta, e a distribuição para todas as regiões do estado será iniciada até o final da tarde.

Nesta primeira etapa da campanha de vacinação infantil, o Plano Estadual de Imunização recomenda que as 645 prefeituras do estado priorizem crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência, indígenas e quilombolas. A estimativa é que 850 mil menores nestas condições sejam vacinados de forma prioritária.

O Governo de São Paulo reclama que o Ministério da Saúde encaminhou apenas 234 mil doses para a Secretaria de São Paulo nesta sexta. A expectativa do Governo do Estado é que o órgão federal encaminhe novos lotes a partir da próxima semana.

COMENTÁRIOS dos leitores