Inaugurado o primeiro coworking materno de Belém

Casa Sorriso oferece espaço profissional e ambiente acolhedor para crianças, no bairro de Val-de-Cães

sex, 19/11/2021 - 15:59
LeiaJáImagens Mães do coworking Casa Sorriso LeiaJáImagens

No último sábado (13), foi inaugurado em Belém o primeiro coworking específico para as mães que têm filhos pequenos. Denominado Casa Sorriso, o espaço oferece condições para que a mulher não precise escolher entre trabalhar ou ficar com seu filho.

Fundado por quatro mães empreendedoras, que tinham o desejo de poder trabalhar com seus filhos ao lado, o coworking foi pensado há 10 anos pela coordenadora do projeto, Tathy Mota, mãe do Miguel e da Lulu e mentora em finanças e planejamento estratégico. Desde a sua primeira maternidade, Tathy viu a necessidade de trabalhar e cuidar de uma criança ao mesmo tempo.

“Na verdade, isso aqui é a realização do sonho de todas nós. Cada uma tinha seus projetos pessoais que foram somando e se tornando o que são hoje”, relata Tathy.

“É possível ser profissional e ser mãe ao mesmo tempo. Já chega da mulher ter que escolher, já chega das mulheres não serem vistas”, diz a coordenadora pedagógica Tereza Jardim.

Localizada no bairro de Val-de-Cães, a Casa Sorriso tem o propósito de ser uma rede de apoio para as mães, fazer o acolhimento da mãe e da criança. “Nosso propósito está alinhado a impulsionar o empreendedorismo materno, de forma bem direta. Agindo diretamente na capacidade da mulher para desenvolver o seu trabalho, sem precisar abrir mão da companhia da sua criança”, explica Tereza.

A Casa oferta um ambiente adequado para as mães trabalharem e para que as crianças possam desenvolver atividades pedagógicas e de socialização. Funciona às terças e quintas, das 14 às 18 horas.

O espaço proporciona às crianças oficinas, recreação, atividades com psicomotricidade, além da conexão com a mãe. “Esse espaço faz com que a criança fique segura, tenha conectividade com a mãe e continue criando a afetividade”, explica Dandara, coordenadora pedagógica.

 “O mercado de trabalho não está preparado para a mãe, ele quer que ela produza como se não tivesse filho e quer que ela seja mãe como se ela não trabalhasse”, pondera Dandara.

Lucilayne Sereni, advogada e empresária, disse que a Casa Sorriso representa a união das mães e o fortalecimento do empreendedorismo. A advogada espera ficar mais perto do filho, fazer novas amizades e ver seu filho interagir com outras crianças, além de estar mais segura por ver o ambiente do coworking como familiar.

“O espaço vai ser um apoio. Para fazer uma reunião, por exemplo, e ao mesmo tempo estando acompanhada do meu filho”, diz Lucilayne.

Informações: 98815-8990.

Por Alessandra Nascimento.

Embed:

 

COMENTÁRIOS dos leitores