China: quadrilha vendia vacinas falsas desde setembro

O suposto imunizante consistia em uma simples solução salina. De acordo com a Xinhua, as vacinas foram vendidas na China e também para outros países

China: quadrilha vendia vacinas falsas desde setembro

A polícia chinesa prendeu mais de 80 pessoas e confiscou mais de 3 mil doses de uma vacina falsa contra o novo coronavírus em Pequim. A operação desmantelou uma rede que funcionava desde setembro.

O suposto imunizante consistia em uma simples solução salina. De acordo com a Xinhua, as vacinas foram vendidas na China e também para outros países, embora a agência de notícias chinesa não tenha especificado quais.

“A China já relatou a situação aos países relevantes”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (2).

A agência informou ainda que a polícia eliminou as instalações clandestinas de manufatura e cadeias de distribuição do grupo criminoso em Pequim, nas províncias de Jiangsu e Shandong. Segundo a Xinhua, as vacinas eram vendidas por “um preço alto”, mas o valor não foi especificado. Também não foi informada a quantidade de vacinas vendidas, nem quantas doses chegaram a ser de fato administradas.

A China começou a vacinar sua população contra a COVID-19 em 15 de dezembro e já inoculou quase 23 milhões de pessoas até 26 de janeiro. No Ano Novo Chinês, 12 de fevereiro, a expectativa é que o número de vacinados chegue a 50 milhões.

A China tem pelo menos sete vacinas contra a COVID-19 produzidas nacionalmente na última fase de testes clínicos. Uma delas, produzida pela estatal Sinopharm, foi aprovada para uso doméstico.

Da Sputnik Brasil