Velhinha serial killer morre de Covid-19

Sofia Zhukova oferecia doces feitos com a carne de suas vítimas para crianças

qua, 06/01/2021 - 13:33
Reprodução 'Vovó estripadora' foi condenada por três assassinatos e esperava o julgamento de outros crimes Reprodução

Uma aposentada, praticante de canibalismo, conhecida como "Granny Ripper", vovó estripadora - em tradução livre, morreu vítima de Covid-19 enquanto esperava seu julgamento, na Rússia. Sofia Zhukova, de 81 anos, ficou conhecida por fazer doces com a carne de suas vítimas, entre elas uma criança de 7 anos, cuja cabeça decapitada foi encontrada em 2005.

De acordo com o jornal Daily Mail, além da menina, Zhukova também matou e esquartejou, com ajuda de um machado, um limpador de rua e zelador de 52 anos e uma amiga sua, de 77. A polícia do país ainda investigava outros quatro crimes que poderiam ser de autoria da idosa, quando ela contraiu o novo coronavírus. Apesar de ter sido levada ao hospital para tratamento, a mulher não resistiu e morreu no último dia 29. A notícia foi divulgada agora. 

Zhukova passou a vida trabalhando como abatedora de porcos. Durante os primeiros julgamentos, a serial killer contou com detalhes como matou suas vítimas. Segundo a publicação, os vizinhos disseram que ela transformava suas vítimas em comida e as oferecia às crianças do bairro. Os órgãos internos do zelador, Vasily Shlyakhtich, um imigrante ucraniano que era seu inquilino, teriam sido descobertos na geladeira da vovó em 2019,  já o DNA da criança foi encontrado no banheiro de Zhukova, 14 anos após o assassinato.

COMENTÁRIOS dos leitores