Aprovação do governo na área ambiental cai de 37% para 36%

A queda segue a tendência registrada na avaliação geral da população com relação ao governo de Bolsonaro

qua, 16/12/2020 - 14:45
Marcos Correa/PR Marcos Correa/PR

As avaliações da população com relação às áreas de atuação do governo federal tiveram uma piora em dezembro, segundo pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta quarta-feira, 16, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A queda segue a tendência registrada na avaliação geral da população com relação ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

A pesquisa revela que o índice de pessoas que reprovam o governo na gestão do meio ambiente subiu para 59% ante 57% registrado em setembro. A aprovação da atuação do governo Bolsonaro na área de meio ambiente variou de 37% para 36%. Em dezembro de 2019, a aprovação do governo nessa área chegou a 40%. Nos últimos meses, com o avanço das queimadas na Amazônia e no Pantanal, o Brasil virou alvo de críticas e pressão por parte dos investidores estrangeiros, ruralistas e ambientalistas por respostas contra a destruição das florestas.

Das nove áreas pesquisadas, quatro registraram queda no porcentual de avaliação, entre setembro e dezembro, acima da margem de erro da pesquisa de dois pontos porcentuais para cima e para baixo: segurança pública, saúde, taxa de juros e combate à inflação.

Com relação à área de combate à fome e à pobreza, houve queda também na avaliação sobre a atuação do governo, mas no limite da margem de erro, ou seja, de quatro pontos porcentuais. A aprovação da população sobre a gestão do governo no combate à fome e à pobreza ficou em 44%, enquanto outros 53% desaprovam a atuação do Executivo federal.

Segurança pública tem aprovação de 44% da população, segundo a pesquisa, uma queda de 7 pontos porcentuais em relação a setembro. A parcela dos que desaprovam a atuação do governo federal nessa área chegou a 53%. Em setembro, essa era a única área aprovada por mais da metade da população. Mas, ainda assim, destaca a pesquisa, a segurança pública continua sendo a área melhor avaliada, empatada com combate à fome e à pobreza.

A atuação do governo no combate à inflação caiu da quinta para a sétima posição no ranking das mais bem avaliadas, com 33% de aprovação. Nas últimas colocações continuam impostos e taxas de juros, cada área com 70% de desaprovação.

A CNI-Ibope foi realizada entre os dias 5 e 8 de dezembro, com 2 mil pessoas em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

COMENTÁRIOS dos leitores