PF faz operação contra contrabando de marfim em São Paulo

Material é extraído das presas dos elefantes

ter, 15/09/2020 - 09:15
Divulgação/Polícia Federal Objetos eram vendidos em feiras de São Paulo Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação nesta terça-feira (15) para combater o crime de contrabando ou receptação dolosa qualificada envolvendo importação, comercialização e aquisição de marfim em São Paulo. A Operação Marfim é realizada em cooperação com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Ambiental do Estado de São Paulo.

Estão sendo cumpridos 11 mandados de busca e apreensão. A ação da PF coincide com o desencadeamento da Operação Thunder, organizada pela Interpol e pela Organização Mundial das Aduanas.

Segundo a PF, a extração e comércio do marfim constituem as principais causas do decréscimo na população de elefantes, especialmente na África, resultando em 50 mil elefantes mortos anualmente. 

A investigação constatou objetos com aparência de marfim em barracas de Feira de Antiguidades, realizada aos domingos na Avenida Paulista e em espaço livre do Museu de Artes de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), em São Paulo-SP. O Ibama fez levantamentos prévios dos indícios de prática de ilícito ambiental.

A PF identificou 11 endereços residenciais e comerciais na capital vinculados às pessoas que supostamente importaram, adquiriram ou comercializaram obras de arte produzidas com marfim. Os investigados serão ouvidos sobre a origem do material. Os objetos também passarão por exame pericial. Os crimes investigados são de contrabando e receptação dolosa qualificada.

COMENTÁRIOS dos leitores