Criminosos invadem escola fulni-ô e queimam livros

Polícia Civil investiga o caso, que ocorreu na escola indígena estadual Marechal Rondon, no município de Águas Belas, Pernambuco

Criminosos invadem escola fulni-ô e queimam livros

Na madrugada da última sexta (7), criminosos invadiram a Escola Estadual Indígena Marechal Rondon, localizada no aldeamento do povo fulni-ô, em Águas Belas, no agreste de Pernambuco. Além de atear fogo na escola e em seu patrimônio, incluindo materiais didáticos, eles deixaram mensagens ofensivas nas paredes, a exemplo dos dizeres: “vão ‘tudo’ tomar no c*”.

Por meio de nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou que um boletim de ocorrência foi registrado no sábado (8), na Delegacia de Águas Belas. A instituição instaurou um inquérito e investiga o caso.

Em um vídeo que circula na internet, é possível observar mesas e armários revirados, bem como uma fogueira formada pelo patrimônio da escola. Os fulni-ô destacam-se por ser o único povo indígena do nordeste brasileiro que conservou seu idioma próprio vivo, o Yaathe. Na unidade educacional vandalizada, as crianças da comunidade tinham o aprendizado da língua como rotina.