Unimed distribui 'Kit Covid-19' com hidroxicloroquina

Kits estão sendo distribuídos na unidade de Brusque-SC aos médicos cooperados. Medida gerou polêmica nas redes sociais

sex, 17/07/2020 - 09:28

A Unimed de Brusque-SC está distribuindo um "kit Covid-19" com hidroxicloroquina e ivermectina aos médicos cooperados. Fotos que mostram uma pequena caixa com laço verde e uma carta informando como administrar os medicamentos foram publicadas no Twitter e causaram bastante repercussão.

Embed:

A carta traz no título: "hidroxicloroquina 400mg + vitamida D 50.000UI + ivermectina 06mg + zinco quelado 30 mg". Em seguida, há informações sobre a forma de administrar, a quantidade e como fazer o armazenamento. "Hidroxicloroquina deve ser tomada durante uma refeição ou com um copo de leite", diz o texto.

Em nota, a Unimed do Brasil se manifestou sobre o caso. A operadora de planos de saúde disse que "orienta suas cooperativas a seguirem as diretrizes previstas pelas associações e sociedades de especialidades médicas brasileiras, além dos protocolos aprovados pela OMS."

A Unimed destacou ainda que cooperativas têm autonomia para desenvolver e executar as ações que julgarem pertinentes às suas necessidades. "Médicos que as compõem têm autonomia para indicar tratamentos e procedimentos de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina", acrescentou.

A Unimed de Brusque também comentou o Kit Covid-19. Ressaltou que "oportunizou a profilaxia aos profissionais que atuam na linha de frente e também aos médicos cooperados" por estar preocupada com a crescente perda de trabalho profissional no combate à Covid-19. A unidade disse que se baseou no protocolo utilizado há algumas semanas e amplamente divulgado da Prefeitura de Porto Feliz-SP. 

"A Unimed Brusque informa que a utilização não era compulsória e após compra conjunta dos insumos tão escassos no mercado na atualidade, foi optado pela distribuição aos que desejaram realizar a profilaxia sugerida", afirma. Segundo a unidade em Brusque, foi assinado um termo de consentimento e realizados exames para excluir doenças que possam ser agravadas pelo uso da profilaxia.

Em texto publicado no site oficial, a Unimed destaca que a adoção do chamado tratamento precoce, feito pela Unimed Brusque, tem gerado resultados satisfatórios. "Já na primeira semana de Ambulatório, tivemos dois pacientes positivos, que começaram a ficar graves e em decisão conjunta com eles, optamos em utilizar a medicação, já que não havia nada disponível e era a única alternativa que estava sendo falada, lá no mês de março. Os dois iniciaram o tratamento e em 48 horas de medicação começaram a responder, ficaram bem, estão bem até hoje. Dali para frente intensificamos os estudos, e desde então, o protocolo do Ambulatório Especial da Unimed Brusque foi usar a hidroxicloroquina e a azitromicina por cinco dias em todos os pacientes que apresentaram quadro de pneumonia viral", diz a Dra. Daniela Salvador Alves, pneumologista e coordenadora médica de Serviços em Saúde da Unimed Brusque. 

 Salvador Alves afirma haver um movimento médico no Brasil em prol do tratamento precoce com uso de hidroxicloroquina, azitromicina, ivermectina e zinco quelado. "Os pioneiros nesse tratamento são dos estados do Norte e Nordeste do país, em especial devido ao colapso que esses locais enfrentaram no Sistema de Saúde. Desta forma, eles passaram a tratar os pacientes precocemente e urgente. E em 40 dias, o colapso foi revertido, sendo um dos exemplos a Unimed de Belém do Pará, que controlou a situação. Baseado nesse e em demais exemplos, infectologistas começaram a avaliar a eficácia do tratamento precoce."

No Twitter, grande parte dos internautas criticou o Kit Covid-19 da Unimed. "Se alguém tiver problemas sérios de saúde por conta desse kit a culpa é de vocês", escreveu @JaumGodoy. "A OMS não recomenda uso, suspendeu pesquisas porque não foi comprovada eficácia e a Unimed está enviando cloroquina de souvenir? (...) não é possível tamanha irresponsabilidade", assinalou a usuária @mariaapasseio. "O princípio cooperativista de 'independência e autonomia' não tem nada a ver com essa irresponsabilidade de ignorar protocolos internacionais comprovados cientificamente", criticou também o internauta @julianorabujah.

COMENTÁRIOS dos leitores