Procura nos frigoríficos diminui com surto de Covid-19

Diante da suspensão do comércio que intensificou a crise econômica, em Jaboatão dos Guararapes comerciantes e clientes têm comprado menos carne

por Victor Gouveia sex, 22/05/2020 - 12:48

A crise instalada pelo novo coronavírus refletiu na mesa do pernambucano e no rendimento de comerciantes do Mercado da Carne de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife (RMR). Com a baixa na clientela, frigoríficos e peixarias já reduziram os estoques para evitar mais prejuízos.

“Diminuiu muito as vendas. O pessoal ficou com medo de sair de casa e estão com medo de vir na feira”, lamenta Severino dos Ramos. Há 20 anos com um frigorífico no centro comercial, o açougueiro calcula uma queda de 30% nos lucros. “Os freezers estão todos cheios”, relata.

A redução do funcionamento do mercado é outro fator que impactou o comércio de carnes. Antes, o local funcionava 13 horas por dia, mas a pandemia encolheu o expediente para 7 horas.  

Além do nome, o peixeiro Severino Lima divide com o vizinho de box o mesmo anseio. “A gente tá fazendo pedido de pouquinho para não estragar a mercadoria”. Em 26 anos com a peixaria, Severino revela que esta foi a maior retração nas vendas que já passou. “Em relação a antes, seria uma queda de 20%. Após esse decreto, deu uma queda de 50%”, explica.

Para o consumidor, o jeito é cortar o item da feira ou substituí-lo. “Dinheiro não tem, só quando cai o auxílio“, afirma o profissional da construção civil Claudemir Moreira. Ele ainda afirma que passou a comprar mais ovos para reduzir os gastos e atualmente compra menos do que a metade do que consumia antes da pandemia.

COMENTÁRIOS dos leitores