UNG oferece exames laboratoriais a preços populares

Instituição oferece testes como hemograma, glicemia, urina, sorologia para Hepatite B e C, entre outros

por Alex Dinarte sex, 07/02/2020 - 18:35

A Universidade Guarulhos (UNG) retomou os atendimentos em seu Laboratório de Análises Clínicas, no Campus Centro. No local, a instituição oferece, a preços populares, testes de hemograma, glicemia, urina, sorologia para Hepatite B e C, entre outros. O valor das avaliações varia entre R$ 3 e R$ 34.

De acordo com os especialistas, cerca de 70% das decisões médicas são tomadas com base em exames laboratoriais. Para a farmacêutica Giliane Freire Nascimento, responsável pelo Laboratório de Análises Clínicas da UNG, os testes são de suma importância para o reconhecimento das patologias. "Os exames atuam no processo de diagnósticos e, principalmente, na identificação de enfermidades, cujos sintomas não são notados nos estágios iniciais", explica. Ainda segundo Giliane, os resultados também contribuem no decorrer do tratamento. "Eles auxiliam no melhor acompanhamento de tratamentos medicamentosos, no caso de doenças crônicas, e o controle das patologias", considera a farmacêutica.

Além de beneficiar a população de baixa renda, a UNG também possibilita que os alunos dos cursos de Farmácia e Biomedicina aprendam na prática o que poderão encontrar em seu campo de atuação. Há sete anos na instituição, sendo seis deles dedicados à função de responsável técnica, Giliane esclarece como professores e alunos atuam juntos na troca de aprendizado diária no laboratório. "Os professores e alunos reproduzem os exames, após a minha análise, para comparações nos resultados. No início do estágio supervisionado, os alunos têm treinamentos para auxiliar na rotina da clínica para, posteriormente, estarem preparados para o mercado de trabalho", completa.

Para a farmacêutica, a execução do que é absorvido durante as aulas na rotina é significativa. "Essas atividades têm uma relevância importante na formação dos alunos. É por meio das análises que os médicos tomam as decisões a respeito do diagnóstico do paciente e auxiliam o farmacêutico clínico no acompanhamento farmacoterapêutico", conclui Giliane.

COMENTÁRIOS dos leitores