SP: a cada 20 minutos, uma mulher pede socorro ao 190

Dados da Lei de Acesso à Informação da PM de SP, reunidos em um levantamento do jornal Folha de S. Paulo, apontam mais de 900 pedidos na região do Capão Redondo

por Alex Dinarte seg, 09/09/2019 - 17:55
Marcos Santos / USP Levantamento Ipea revela 4.396 mulheres foram assassinadas no Brasil em 2017 Marcos Santos / USP

O Capão Redondo, um dos bairros mais populosos da Zona Sul da cidade de São Paulo, é o que mais recebeu denúncias de violência contra mulher entre janeiro e julho deste ano. Os dados são da Lei de Acesso à Informação (LAI) da Polícia Militar (PM), em um levantamento do jornal Folha de S. Paulo, que mostra 907 pedidos de socorro oriundos de moradoras daquela região. O número representa cerca de 6% das mais de 15.500 ocorrências recebidas pela PM em toda a capital paulista.

Infelizmente não é só na periferia da Zona Sul que a violência contra a mulher vigora. Segundo a Lei de Acesso à Informação da PM, se somarmos os três bairros mais pobres da Zona Norte como Perus/Pirituba (5,4) e Brasilândia (4,6), os contatos com a PM totalizam 10% dos chamados. Outros 9% das ligações para pedir socorro estão na soma de Itaquera (4,5%) e Itaim Paulista (4,5%), bairros da Zona Leste de São Paulo. Nestes números também estão registrados os casos não investigados pela Polícia Civil, porque a vítima preferiu não dar sequência à queixa.

Ainda de acordo com os dados da LAI, 38% das ligações ao telefone 190 da PM são efetuadas no período noturno. As autoridades ainda consideram o aumento do registro de pedidos de socorro aos sábados, domingos, segundas-feiras e quartas-feiras.

Um outro levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) de 2018 revela que no ano anterior à pesquisa, 4.396 mulheres foram assassinadas no Brasil. Já segundo estudo do Ministério da Saúde, em 2018, 145 mil foram vítimas de violência física, psicológica ou sexual.

COMENTÁRIOS dos leitores