Coreia do Norte apreende pesqueiro russo

A embarcação, com 17 tripulantes a bordo, 15 russos e dois sul-coreanos, está ancorada no porto de Wonsan, segundo a mesma fonte

qua, 24/07/2019 - 09:46
Alexey Nikolsky (Arquivo) O líder nortecoreano, Kim Jong-un (es), e o presidente russo, Vladimir Putin, durante reunião em Vladivostok, na Rússia, em abril de 2019 Alexey Nikolsky

A Coreia do Norte mantém sob seu controle uma embarcação de pesca russa com 17 tripulantes a bordo há mais de uma semana, acusando-a de ter entrado em águas territoriais norte-coreanas, informou nesta quarta-feira (24) a embaixada russa em Pyongyang.

"Os guardas de fronteira norte-coreanos capturaram" o barco de pesca russo em 17 de julho por "violação das regras de entrada e permanência no território da Coreia do Norte", informou a embaixada em um comunicado.

A embarcação, com 17 tripulantes a bordo, 15 russos e dois sul-coreanos, está ancorada no porto de Wonsan, segundo a mesma fonte.

O capitão, seu imediato e os dois marinheiros sul-coreanos foram alojados em um hotel desta cidade portuária, às margens do Mar do Japão, enquanto os outros marinheiros ainda estão na embarcação, de acordo com o comunicado.

Na segunda-feira, diplomatas do consulado russo na Coreia do Norte se reuniram com membros da tripulação, que estão "em bom estado de saúde", segundo a mesma fonte.

"A embaixada russa permanece em contato permanente com as autoridades norte-coreanas [...] e toma todas as medidas necessárias para resolver essa situação no menor tempo possível", explica o comunicado.

O ministério da Unificação da Coreia do Sul confirmou nesta quarta-feira a captura do navio e anunciou que está em contato com as autoridades russas para garantir a segurança de seus cidadãos.

Por sua vez, a embaixada norte-coreana na Rússia afirmou em um comunicado que o capitão do pesqueiro "admitiu ter violado a fronteira norte-coreana" e que a embarcação está sendo inspecionada.

"Se nenhuma violação for detectada durante a inspeção, o barco será liberado", de acordo com o texto.

COMENTÁRIOS dos leitores