Bolsas de NY fecham em alta

Em Wall Street, o índice Dow Jones fechou em alta de 0,77%, em 25.877,33 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,85%, em 2.864,36 pontos

ter, 21/05/2019 - 20:56

Os mercados acionários nova-iorquinos fecharam em alta nesta terça-feira, 21, após os Estados Unidos decidirem relaxar, de forma temporária, as restrições à venda e transferência de tecnologia de empresas americanas à chinesa Huawei.

Em Wall Street, o índice Dow Jones fechou em alta de 0,77%, em 25.877,33 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,85%, em 2.864,36 pontos. Já o índice eletrônico Nasdaq, por sua vez, subiu 1,08%, em 7.785,72 pontos.

O grau dos temores de investidores em relação à disputa comercial sino-americano foi levemente reduzido após o Departamento do Comércio dos EUA anunciar que vai conceder uma isenção temporária de 90 dias sobre as restrições comerciais contra a Huawei, gigante de telecomunicações da China.

O presidente americano, Donald Trump, assinou na semana passada um decreto que obriga companhias americanas a solicitarem uma licença para vender ou transferir tecnologia à Huawei. O secretário de Comércio americano, Wilbur Ross, afirmou que isso possibilitará a manutenção de redes de negócios existentes.

O estrategista-chefe de mercado da National Securities, disse que a decisão dos EUA pelo relaxamento temporário é "uma esperança de que podemos evitar o pior cenário", e que "o mercado precisa aproveitar os tons positivos do comércio global". O chefe de investimentos da Pence Wealth Management, Dryden Pence, por sua vez, afirma que "é difícil para o mercado subir muito mais do que isso, até conseguirmos alguma resolução sobre o comércio global".

Nesse sentido, as empresas de tecnologia viram seus papéis avançarem após as expressivas quedas de segunda-feira. Na sessão desta terça, a Intel ganhou 2,07% enquanto a Apple subiu 1,92%. O subíndice de tecnologia do S&P 500 fechou em alta de 1,20%, em 1.312,69 pontos, se consolidando como a segunda melhor performance setorial do dia.

As tensões entre as duas maiores economias do mundo costumam afetar diretamente as empresas do setor industrial. O alívio desta terça no cenário global, portanto, também beneficiou as companhias do setor, como a Caterpillar (+2,06%) e a 3M (+0,63%).

A Boeing também viu seus papéis avançarem 1,69% após uma reportagem do Wall Street Journal afirmar que a queda do 737 MAX em março pode ter sido motivada por uma colisão da aeronave com um pássaro. O subíndice industrial do S&P 500 ficou logo atrás do setor de tecnologia e subiu 1,18%, em 635.01 pontos.

COMENTÁRIOS dos leitores