ONG afirma que 545 pessoas morreram em crise na Nicarágua

O conflito sociopolítico contra o governo do presidente Daniel Ortega teve início em 18 de abril

por Beatriz Gouvêa sex, 23/11/2018 - 14:40

A Organização Nicaraguense Pró-Direitos Humanos (ANPDH) comunicou que ao menos 545 pessoas morreram e 4.533 ficaram feridas desde o começo da crise sociopolítica na Nicarágua, em 18 de abril, quando teve início os protestos contra o governo do presidente Daniel Ortega.

"O número de vítimas está incluído em um relatório preliminar das consequências dos protestos cívicos na Nicarágua como um direito humano", informou o secretário-executivo da organização humanitária, Álvaro Leiva.

O governo de Nicarágua reconheceu apenas 199 mortes durante a crise. As autoridades consideram os ataques como tentativa de golpe de Estado, que já teria sido perdida.

A ANPDH também afirmou que 1.315 pessoas foram sequestradas por grupos paramilitares e que continuam desaparecidas ou foram presas injustamente.

Além disso, a ONG apontou que 47 imóveis foram destruídos por grupos paramilitares no decorrer da crise, e que outras 40 casas foram alvo de ataques e saques feitos por policiais e grupos armados não autorizados.

COMENTÁRIOS dos leitores