Sogros negam ter matado e enterrado nora em casa em SP

Vítima havia desparecido no início de outubro; delegado responsável pelo caso acredita que o crime foi premeditado

por Nataly Simões qui, 08/11/2018 - 14:09

Os sogros da assistente social Márcia Martins Miranda negam ter sequestrado, matado e enterrado a nora em uma casa no bairro Rio Pequeno, Zona Oeste de São Paulo. A informação foi divulgada pela defesa do casal nesta quinta-feira (8).

Fernando Antonio Martins de Oliveira, de 62 anos, e Maria Izilda Pereira Miranda, de 60 anos, estão presos temporariamente desde o mês passado. “Quando tiver acesso ao inquérito irei analisá-lo e pedir à Justiça a liberdade do casal porque ele é presumidamente inocente”, afirmou o advogado de defesa do casal Fábio D’Elia.

A assistente social estava desaparecida desde o dia 2 de outubro, quando saiu de casa para trabalhar. Seu corpo foi encontrado na última segunda-feira (5) dentro de um quarto em um imóvel alugado pelo casal. O cadáver estava dentro de um saco plástico, encoberto por terra e uma placa de concreto.

Segundo a Polícia Civil, os sogros assassinaram Márcia para poder ficar com a guarda dos netos, um menino de quatro anos e uma menina de nove meses. O Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) informou que Fernando e Maria eram obcecados pelas crianças e decidiram cometer os crimes após a nora ter dito que iria se separar do marido, que não teve a identidade revelada, e ir embora levando os filhos. O esposo da vítima não teve envolvimento no crime e está com a guarda das crianças.

De acordo com o DHPP, a vítima foi assassinada no mesmo dia em que saiu para trabalhar. Para a polícia, os sogros a atraíram com a proposta de criar uma conta bancária para os netos e de que iriam mostrar a ela a residência que alugaram para que Márcia morasse com os dois filhos, já que estava em processo de separação.

 “Ela foi atraída, convidada a entrar no carro [do casal] para ver a casa. Lá chegando ganharam acesso ao imóvel e provavelmente no último cômodo atingiram a vítima com um golpe na cabeça, e a partir daí ela pode ter sido enterrada viva ou asfixiada”, explicou o delegado Mário Sérgio de Oliveira Pinto, da 1ª Delegacia de Proteção à Pessoa do DHPP.

O delegado acredita na hipótese de que os sogros tenham premeditado o crime. “Absolutamente, a premeditação desse crime nos é muito clara. Os criminosos cavaram muito fundo. Além de depositarem o corpo, fizeram uma laje”, completou.

A causa da morte de Márcia ainda não foi revelada e o enterro está marcado para ocorrer hoje no Cemitério Vale da Paz, em Diadema, na Grande São Paulo.

COMENTÁRIOS dos leitores