Total é multada por corrupção no 'Petróleo por Alimentos'

Pena de 750.000 euros corresponde à máxima passível por este crime

sex, 26/02/2016 - 09:10
Martin Bureau O grupo petrolífero francês Total foi condenado nesta sexta-feira em Paris, em apelação, a 750.000 euros de multa por corrupção de agente público estrangeiro no programa da ONU no Iraque Petróleo por Alimentos, em vigor de 1996 a 2003 Martin Bureau

O grupo petrolífero francês Total foi class="author">sex, 26/02/2016 - 09:10

Martin Bureau O grupo petrolífero francês Total foi condenado nesta sexta-feira em Paris, em apelação, a 750.000 euros de multa por corrupção de agente público estrangeiro no programa da ONU no Iraque Petróleo por Alimentos, em vigor de 1996 a 2003 Martin Bureau

O grupo petrolífero francês Total foi condenado nesta sexta-feira (26) em Paris, em apelação, a 750.000 euros de multa por corrupção de agente público estrangeiro no programa da ONU no Iraque "Petróleo por Alimentos", em vigor de 1996 a 2003.

Esta pena corresponde à máxima passível por este crime. Por sua vez, o grupo petrolífero Vitol foi condenado a 300.000 euros de multa. Todos os acusados haviam sido absolvidos em primeira instância, mas a procuradoria recorreu.

O programa "Petróleo por Alimentos" estava destinado a atenuar os efeitos na população do Iraque do embargo imposto contra o país pela ONU após a invasão do Kuwait em 1990.

O programa permitia ao regime de Saddam Hussein vender petróleo em quantidades limitadas, sob o controle da ONU, para comprar alimentos e insumos de primeira necessidade. Mas o Iraque conseguiu se esquivar através de vendas paralelas e superfaturamentos.

COMENTÁRIOS dos leitores