Paulo Sérgio diz que jogadores tem que “assumir responsabilidade” em má fase do Náutico

O Timbu é apenas o 11º colocado na Série C

Paulo Sérgio diz que jogadores tem que “assumir responsabilidade” em má fase do Náutico

Foto: Júlio Gomes/LeiaJá

Paulo Sérgio, principal líder técnico do Náutico na temporada, já soma 12 gols e uma assistência no ano. Vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro Série C com seis tentos marcados na competição, o jogador não fugiu da responsabilidade e admitiu a parcela de culpa do elenco na má fase do Timbu: “É também a gente dar a cara para bater e assumir um pouquinho de responsabilidade”.

O experiente atacante, de 35 anos, falou sobre a situação do Náutico. O clube vive má fase dentro da Série C, além de chegar ao terceiro treinador na temporada 2024

“Não adianta também a gente estar se cobrando bastante, o treinador estar mostrando vídeos para todos nós dos pontos fracos, dos pontos fortes dos adversários. Porém, a gente não consegue executar em campo. Então essa responsabilidade tem que ser dividida entre todos, porque não adianta a gente ficar só jogando para o treinador a culpa, até porque, quem entra em campo e executa somos nós (jogadores). Então é também a gente dar a cara para bater e assumir um pouquinho de responsabilidade”, disse Paulo Sérgio. 

Volta por cima na Série C

O Náutico ainda tem 11 partidas pela frente na terceirona, mas amarga a 11ª colocação na competição. Contudo, precisa terminar a primeira fase dentro do G8, se quiser avançar à fase mata-mata do torneio.

Paulo Sérgio projetou o restante da temporada e revelou a confiança do elenco para dar a volta por cima dentro do certame. 

“Se eu não me engano, faltam aí mais 12 partidas, a gente sabe da cobrança que vai ser durante esses jogos. Porque se eu não me engano, a gente tem que fazer seis ou sete vitórias e realmente não é fácil. Porém, não é impossível. A gente mais do que nunca sabe que cada jogo vai ser uma final e a gente está bastante confiante que vai conseguir esse objetivo. Porque o importante é classificar entre os oito, esse é o ponto principal, depois é uma nova competição. Mata-mata é uma outra conversa”, finalizou.