Sport cala os Aflitos, vence o Náutico e abre vantagem na final do Pernambucano

Agora, o Leão precisa de um empate no jogo de volta para confirmar o bi no Estadual

Sport cala os Aflitos, vence o Náutico e abre vantagem na final do Pernambucano

Sport venceu o Náutico por 2 a 0 no jogo de ida da final do Campeonato Pernambucano. (Foto: Júlio Gomes/LeiaJá)

O Sport não titubeou diante da pressão da torcida do Náutico. Em clássico com torcida única, venceu por 2 x 0 e calou os Aflitos, neste sábado (30), para abrir vantagem na grande decisão do Campeonato Pernambucano. A partida de volta acontece no próximo dia 6, dessa vez na Arena de Pernambuco, reduto do Leão.

Agora, a equipe da Praça da Bandeira pode perder de 1 x 0 na Arena para confirmar o bicampeonato estadual. Caso o Náutico dê o troco e vença por dois gol de diferença, a definição do campeão vai para as cobranças de pênaltis.

Times lutam, mas placar não sai do zero no primeiro tempo

O roteiro do jogo começou equilibrado. Era o Náutico, contudo, quem tentava dominar as ações nos minutos iniciais. A primeira finalização veio aos sete minutos, quando Leandro Barcia dominou na frente da grande área e arriscou o chute, que saiu um pouco acima da meta de Caíque França. Serviu para encarrar aplausos da torcida nas arquibancadas dos Aflitos.

No entanto, o Timbu não conseguiu penetrar com facilidade na grande área leonina, recorrendo aos arremates de longe. A outra foi com Evandro, que errou o alvo por muito, com 16 minutos no relógio. Do outro lado, o Sport pouco ameaçava o gol de Vágner, esbarrando na boa marcação da defensiva vermelha e branca.

Aos poucos, o jogo ia diminuindo de ritmo e as equipes na velocidade. O resultado foi um final de primeiro tempo truncado, com os dois times abusando de fazer faltas. A primeira finalização no gol, inclusive, só veio depois da casa dos 40 minutos. Após cobrança de escanteio, Luciano Castán testou firme e Vágner fez grande defesa para evitar o gol, na chance mais clara da primeira etapa.

Sport sacramenta a vitória e abre vantagem

O Sport teve a grande chance do jogo logo no início do segundo tempo. Aos três minutos, após cochilo da marcação do Timbu, Gustavo Coutinho saiu na cara do gol. A finalização, entretanto, carimbou a trave esquerda no rebote. Já no rebote, foi a vez de Fabricio Domínguez finalizar, também na trave, porém à esquerda. O Náutico mandou a resposta logo depois. Luiz Paulo ficou com a bola, bem como soltou uma bomba. A marcação leonina impediu o gol.

Fato é que a segunda etapa voltou bem mais movimentada em relação à anterior. Não por acaso, saiu o gol. Após cobrança de escanteio de Alan Ruiz, Rafael Thyere subiu mais alto que a defesa rival e estufou para o fundo das redes, aos 10. Silêncio total na Rosa e Silva.

Atrás do placar, Allan Aal fez substituições e o time se lançou todo o ataque. Porém, foi o Leão quem seguiu sendo mais perigoso. Aos 19, em contragolpe bem armado, Pedro Lima só não ampliou porque Vagner fez a defesa. No lance seguinte, não houve jeito. Fabricio Domínguez cruzou no capricho, e Gustavo Coutinho cabeceou no canto esquerdo para fazer 2 x 0, à medida em que o torcedor já começava a deixar os Aflitos.

Com o jogo já praticamente decidido, os visitantes passaram a valorizar ainda mais posse de bola, principalmente no campo de ataque. Do outro lado, o Náutico não encontrou brechas nem para diminuir, com Allan Aal “arrancando” sonoras vaias da torcida. O jogo também foi marcado por confusões nas arquibancadas, além da invasão dupla de um torcedor.

Ficha técnica

Competição: Campeonato Pernambucano

Local: Estádio dos Aflitos, no Recife

Náutico: Vágner; Arnaldo (Danilo Belão), Guilherme Matos, Rafael Vaz e Diego Matos; Marco Antônio, Marcos Júnior e Patrick Allan; Leandro Barcia (Thalissinho), Evandro (Kauan Maranhão) e Luiz Paulo (Kayon). Técnico: Allan Aal

Sport: Caíque França; Pedro Lima, Rafael Thyere (Alisson Cassiano), Luciano Castán e Riquelme (Roberto Rosales); Felipe, Fabrício Domínguez (Fábio Matheus) e Alan Ruiz; Lucas Lima (Barletta), Gustavo Coutinho (Zé Roberto) e Romarinho. Técnico: Diego Bujan.

Gols: Rafael Thyere, aos 10 do segundo tempo, e Gustavo Coutinho, aos 20 do segundo tempo

Cartões amarelos: Leandro Barcia, Rafael Vaz e Marcos Júnior (NAU); Riquelme, Rafael Thyere e Felipe (SPT)

Árbitro: Diego Fernando

Assistentes: Clóvis Amaral e José Romão

VAR: Gilberto Castro Júnior

Público: 13.603

Renda: R$ 267.250,00