Argel Fuchs se recusa a poupar jogadores: ‘Quando morrer, vai descansar’

Técnico se mostrou contrário à prática de descanso dos atletas nos 90 minutos

Argel Fuchs se recusa a poupar jogadores: ‘Quando morrer, vai descansar’

Argel Fuchs, treinador do Caxias. Foto: Vitor Soccol/S.E.R.Caxias

Argel Fuchs teve mais uma declaração polêmica para a coleção de pérolas em entrevistas. Após o Caxias empatar o clássico com o Juventude por 1 a 1 pelo Campeonato Gaúcho, na segunda-feira, o treinador foi questionado sobre a possibilidade de poupar jogadores do elenco grená, uma condição que todos os técnicos adotam por causa do calendário.

Em resposta, o comandante se mostrou contrário à prática de descanso dos atletas nos 90 minutos. “Pode ter certeza de que eu não gosto de poupar jogador. Eu não vou poupar jogador. Eu sou contra poupar jogador. O jogador que estiver cansado, quando ele morrer, ele vai descansar. Nós vamos colocar o que tem de melhor”, disse o treinador recém-chegado ao clube gaúcho.

O contexto da pergunta é a aproximação do fim da primeira fase do Campeonato Gaúcho. Argel chegou ao Caxias no fim da semana passada. É a terceira passagem dele no clube. A estreia foi no clássico CaJu, contra o Caxias e o Juventude. A equipe grená vencia o jogo até os 33 minutos do segundo tempo, quando sofreu o empate.

Caxias no Campeonato Gaúcho

Com o resultado, o Caxias é o 7º na tabela, com 10 pontos. Oito times se classificam para as quartas de final. O problema é que o Ypiranga, de Erechim, primeiro na zona de rebaixamento, é o 11º, com oito pontos. As últimas duas rodadas acontecem com uma semana de distância. O Caxias enfrenta o Avenida, de Santa Cruz do Sul, no estádio Centenário, em Caxias do Sul, no sábado. Na rodada derradeira, a equipe de Argel visita o Novo Hamburgo, no que pode ser um confronto direto por vaga na próxima fase.

Argel Fuchs coleciona pérolas em coletivas

O técnico do Caxias é conhecido por frases polêmicas como a que repercutiu depois do jogo da segunda-feira. Quando treinava o Inter, entre 2015 e 2016, já não tinha filtros. Após a eliminação e assumir o time recém-eliminado na Libertadores, o treinador definiu que estava “trocando os pneus com o carro andando”.

Antes de um clássico com o Grêmio, um áudio do técnico vazou. Nele, Argel dizia que “iria passar o trator no Gre-Nal”. O jogo foi 1 a 0 para o tricolor gaúcho, que retribuiu a fala com o meia Douglas dizendo que “iria beber de trator” após a vitória.

Ainda sobre a rivalidade, Argel afirmou “nem conhecer” o presidente do Grêmio na época, que era Romildo Bolzan. A fala foi depois de o dirigente comparar Argel com Luiz Felipe Scolari. Outra declaração memorável foi a definição do técnico para o atacante Yan Potter, na época com 19 anos: “Ele tem perfume de gol”. O jogador, hoje com 27 anos, rodou pelo interior gaúcho e acabou não cumprindo a expectativa.