Torcida “supostamente” do Sport vai à festa da uniformizada do Náutico e causa tiroteio

Confronto de torcida aconteceu na Avenida Santos Dumont, localizada no bairro dos Aflitos, Zona Norte do Recife

Torcida “supostamente” do Sport vai à festa da uniformizada do Náutico e causa tiroteio

Reprodução/Whatsapp

Uma festa da principal torcida uniformizada do Náutico terminou em confusão. Aquilo que parecia sinônimo de harmonia, no entanto, virou um pequeno tiroteio da Avenida Santos Dumont, localizada no bairro dos Aflitos, Zona Norte do Recife, e bem próxima à sede do clube alvirrubro.

As imagens obtidas pela reportagem do LeiaJá mostram homens causando tumulto e atirando fogos de artifício nem outras pessoas. Segundo a apuração, os suspeitos fugiram, sendo alguns a pé e outros de moto. Confira o vídeo completo abaixo.

A Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) informou que o estopim para a briga de torcida aconteceu pela presença de torcedores supostamente do Sport. Cerca de três viaturas do 13º BPM estiveram na ocorrência.

No local, a corporação se deparou com disparos de arma de fogo e rojões. Além disso, causou medo aos moradores da região, com muito tumulto. Ainda segundo a PM, ninguém ficou ferido e foi preso.

A Polícia Civil investiga a motivação do crime, segundo a PM. Não houve registro de Boletim de Ocorrência (B.O).

Dentro de campo, Náutico e Sport atuam neste meio de semana pelo Campeonato Pernambucano. Enquanto o Leão encara o Central, nesta terça-feira (6), na Arena de Pernambuco, o Timbu recebe o Porto, quarta (7), nos Aflitos.

Veja a nota da PM na íntegra sobre a briga de torcida

“A Polícia Militar informa, através do 13º BPM, que foi acionada para uma ocorrência, na noite de segunda-feira (05/02), na Avenida Santos Dumont. Ao chegar no local, foi constatado que estava acontecendo uma festa pelos 40 anos de uma torcida do Náutico, um grupo de torcedores, supostamente do Sport, passou e efetuou disparos de arma de fogo e rojões na sede do grupo alvirrubro. Houve correria, mas os agressores fugiram antes da chegada da PM. Não houve prisões. A Polícia Civil vai investigar a autoria e a motivação do crime.”