Ponte Preta vence CRB e evita o vexame do rebaixamento

Ponte Preta confirmou sua permanência na Série B do Brasileiro

Ponte Preta vence CRB e evita o vexame do rebaixamento

A Ponte Preta confirmou a sua permanência na Série B do Campeonato Brasileiro na próxima temporada ao vencer por 3 a 0 o CRB, neste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, pela 38ª rodada, a última da temporada. O time paulista entrou em campo correndo o risco de ser rebaixado à Série C, porém, terminou a competição com 42 pontos, em 15º lugar. O CRB ficou com 57, em nono.

Mesmo com uma campanha irregular, a Ponte Preta só esteve dentro do Z-4 – zona de rebaixamento – uma vez, na 35ª rodada. Tudo depois de uma sequência negativa de dez jogos sem vencer, com seis derrotas e quatro empates. Um alívio depois de um primeiro semestre de sucesso com a conquista do título paulista da Série A2 que a devolveu à elite estadual.

Campeão alagoano, o CRB iniciou a Série B como um dos favoritos ao acesso, no entanto, acumulou tropeços e só se acertou com a chegada do técnico Daniel Paulista. Mas a reação foi insuficiente para garantir uma vaga na Série A, nem de atingir os 60 pontos, seu recorde na Série B.

Contando com o apoio de sua torcida, a Ponte Preta iniciou o jogo demonstrando muita disposição ofensiva, sem dar espaços para o CRB. A história mudou aos 13 minutos, quando Fábio Alemão cometeu falta feia em cima de Pablo Dyego, que seguia em direção ao gol. Em princípio, o árbitro Leandro Pablo Vuaden (RS) apenas puniu o zagueiro com o cartão amarelo, mas alertado pelo VAR reconsiderou sua posição e aplicou o cartão vermelho.

O técnico Daniel Paulista logo recompôs sua marcação com a entrada do zagueiro Ramon Menezes no lugar do atacante Rômulo. Mas o time paulista seguiu em cima e abriu o placar aos 20 minutos. Feliphinho lançou Jeh, que dominou no peito e deu o toque na frente para Pablo Dyego. Ele ajeitou e bateu em diagonal fazendo 1 a 0.

Quase que o CRB empatou aos 33 minutos, momentos depois de uma troca forçada na defesa da Ponte Preta com a saída do capitão Fábio Sanches, machucado, para a entrada de Thomás Kayck. A nova dupla defensiva se arrumava quando um lançamento longo pegou João Paulo em velocidade. Na frente da área ele bateu forte e o goleiro Caíque França rebateu com a perna direita.

No começo do segundo tempo, a Ponte Preta tratou de confirmar sua vitória. Artur desceu pelo lado esquerdo e fez o passe lateral para Pablo Dyego que chutou forte. O goleiro Julio César ainda tocou com as mãos na bola, mas não evitou o segundo gol no primeiro minuto. Foi o 11º gol de Pablo Dyego na temporada, marcada por uma grave lesão no joelho que o obrigou a passar por uma delicada cirurgia.

Depois disso, o jogo esfriou. O CRB não esboçou reação e a Ponte Preta só ameaçou em contra-ataques esporádicos. A festa começou aos 28 minutos, quando Pablo Dyego, o herói da tarde, deixou o campo para a entrada de Paul Villero. O CRB assustou aos 32, quando Bruno silva acertou o travessão de Caíque França.

O técnico João Brigatti abriu os braços e cobrou seus jogadores. Aos 38 minutos, saiu o terceiro gol da Ponte Preta. Paul Villero desceu em disparada pelo lado esquerdo e chutou rasteiro na saída do goleiro. Igor Torres ainda marcou um gol aos 45 minutos, mas que acabou anulado pelo VAR por impedimento. Ao apito final, muita comemoração de quase dez mil torcedores presentes ao Majestoso.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 3 X 0 CRB

PONTE PRETA – Caíque França; Maílton, Castro, Fábio Sanches (Thomás Kayck) e Artur; Feliphinho (Wesley Fraga), Felipe Amaral, Ramon Carvalho e Elvis; Pablo Dyego (Paul Villero) e Jeferson Jeh (Igor Torres). Técnico: João Brigatti.

CRB – Júlio César; Matheus Ribeiro, Fábio Alemão, Saimon e Guilherme Romão; Falcão, Lucas Lima e João Paulo (Rafael Longuine); Mike (Bruno Silva), Léo Pereira (Renato) e Rômulo (Ramon Menezes). Técnico: Daniel Paulista.

GOLS – Pablo Dyego, aos 20 minutos do primeiro tempo; Pablo Dyego, a 1 e Paul Villero, aos 38 do segundo.

CARTÃO VERMELHO – Fábio Alemão (CRB).

ÁRBITRO – Leandro Pedro Vueden (RS).

RENDA – R$ 107.420,00.

PÚBLICO – 9.737 total.

LOCAL – Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).