Rafaela Silva exalta 2º título mundial: ‘Resiliência’

Após ficar dois anos suspensa por doping, a brasileira ganhou suas cinco lutas e retomou ao topo na categoria 57 Kg feminino

Rafaela Silva era só sorrisos após derrotar a japonesa Haruka Funakubo na final, em Taskhent, no Usbequistão, e conquistar o bicampeonato mundial de judô após nove anos. Após ficar dois anos suspensa por doping, a brasileira ganhou suas cinco lutas e retomou ao topo na categoria 57 Kg feminino.

Exibindo com orgulho a bela medalha da competição, a brasileira revelou o significado desta conquista após o longo período de punição. “Eu estou feliz com a minha medalha de ouro. Foi a resiliência, a concentração e o foco que eu trouxe para essa competição para sair com a medalha de ouro”, disse, satisfeita com sua participação ao longo das lutar.

Rafaela não precisou disputar a primeira luta no Mundial. De cara, porém, tinha uma adversária representante do país, o que teria toda a torcida contra como um peso a mais. A usbeque Nilufar Ermaganbetova, porém, foi batida sem dificuldades pela brasileira.

O duelo das oitavas, contra a búlgara Ivelina Ilieva, foi apontado como uma das lutas mais complicadas pela brasileira. Ela precisou do golden score para avançar, com um ippon. “Sabia que seria uma luta muito dura. Já lutei contra essa atleta da Bulgária quatro vezes, ganhei duas e perdi duas. Era sempre uma luta muito disputada”, avaliou Rafaela.

Passando bem pelas quartas e semifinais, a campeã olímpica no Rio-2016 passou sufoco na busca pelo ouro contra a japonesa. Ela sofreu uma imobilização, mas escapou antes de a rival receber pontuação. Na reta final, aplicou um waza-ari e levou o sonhado bicampeonato. “Sabia que tinha de entrar bem focada e concentrada na luta, era uma atleta contra a qual eu nunca tinha lutado.”