ter, 25/01/2022 - 10:25
Divulgação/ATP Os outros dois semifinalistas serão definidos na noite desta terça e madrugada de quarta Divulgação/ATP

Único integrante do Big 3 que compete no Aberto da Austrália, Rafael Nadal vem fazendo a sua parte. Na madrugada desta terça-feira, o tenista espanhol garantiu seu lugar numa semifinal de Grand Slam pela 36ª vez na carreira. Ele sofreu para superar o canadense Denis Shapovalov numa batalha de cinco sets - 6/3, 6/4, 4/6, 3/6 e 6/3 - e disse que evita pensar no recorde de títulos de Grand Slam.

"Eu não espero por nada. Eu apenas sigo em frente. Em termos do que pode acontecer no futuro, honestamente não ligo muito", disse o espanhol, ao ser questionado sobre a possibilidade de atingir a marca de 21 títulos de Grand Slam. Seria o recorde histórico, superando o suíço Roger Federer e o sérvio Novak Djokovic. Ambos têm 20 e não estão competindo em Melbourne.

"Não vou ficar frustrado se Novak ou Roger terminarem suas carreiras com mais títulos de Grand Slam do que eu. Vamos curtir a situação que temos hoje, cada um de nós. Fizemos coisas muitos especiais no nosso esporte", disse o ex-número 1 do mundo.

Nesta terça, o tenista de 35 anos mostrou mais uma vez toda sua resistência e resiliência dentro de quadra. Ele abriu 2 sets a 0 no placar, mas caiu de rendimento, permitiu o empate do 14º colocado do ranking. No confronto dos últimos dois canhotos ainda vivos na chave masculina, Nadal fez valer sua maior experiência.

"Eu estava destruído fisicamente, para ser honesto. Mas meu saque funcionou bem e, para mim, cada jogo que venceu com meu saque era como uma vitória. Claro que no começo do quinto set eu estava preocupado", admitiu o espanhol, que recebeu atendimento médico fora de quadra depois que Shapovalov empatou o jogo.

Algoz do alemão Alexander Zverev, um dos candidatos ao título, o canadense atacou a arbitragem do brasileiro Carlos Bernardes e criticou a demora de Nadal em seus serviços no quinto set. Durante o jogo, Shapovalov chegou a afirmar que a arbitragem estava sendo "corrupta".

Ao fim do jogo, ele se desculpou pelos excessos, mas reiterou as críticas. "Eu estava errado quando disse que ele é corrupto ou o que quer que eu tenha dito. Foi no calor do momento e emocional, mas acho injusto ver o quanto o Rafa está se safando. Respeito tudo o que Rafa fez e acho que ele é um jogador incrível. Mas tem que haver alguns limites e regras estabelecidas."

Shapovalov se referia à regra de 25 segundos para a reposição de bola em quadra, no saque. "Eu estava completamente pronto para receber o saque dele e o relógio estava marcando 3, 2, 1... indo em direção ao zero. E estava olhando para o árbitro, e obviamente tive que falar alguma coisa: Eu estou pronto para jogar há um minuto e meio, e ele me diz que não vai dar uma violação para o Nadal, porque eu não estava pronto para jogar. Para mim, é uma grande piada se alguém diz isso", reclamou.

Na semifinal, Nadal vai enfrentar o vencedor do duelo entre o italiano Matteo Berrettini e o francês Gael Monfils. Os outros dois semifinalistas serão definidos na noite desta terça e madrugada de quarta, pelo horário de Brasília.

Feminino - A tenista local Ashleigh Barty e a americana Madison Keys são as primeiras semifinalistas da chave de simples feminina. Número 1 do mundo, a atleta da casa fez mais uma vítima nesta madrugada ao arrasar a americana Jessica Pegula (21ª cabeça de chave), com direito a um "pneu": 6/2 e 6/0.

Sua adversária na semifinal, Keys surpreendeu ao derrotar a embalada Barbora Krejcikova, quarta cabeça de chave, por 6/3 e 6/2. A checa vinha em grande ritmo, mas sofreu demais com o calor, sentiu o desgaste físico e esteve longe de conseguir acompanhar a americana, atual 51º do mundo e ex-número 7.

COMENTÁRIOS dos leitores